Resenha: A Gaiola - Marcia Willett

Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2011
Páginas: 406
Tradutor: Alda Porto

SARAIVA - WALLMART - FNAC


Ninguém é capaz de prever o momento em que a vida está prestes a mudar de rumo. Felix Hamilton teve o seu ao conhecer a atriz Angel Blake. Dali em diante ele soube: sua vida nunca mais seria a mesma. Assim começa A Gaiola, segundo romance de Marcia Willett publicado no Brasil. A paixão que nasce entre os dois, no entanto, encontra empecilhos: Felix está casado com Marina, uma mulher fria e possessiva, e tem medo de que ela o separe do filho, Piers. Anos mais tarde, quando a filha de Angel, Lizzie, encontra Piers pela primeira vez, depara-se com uma família despedaçada que, incrivelmente, precisará dela para curar as feridas. Atravessando décadas e gerações, A Gaiola apresenta a história de um homem diante de um dilema de vida – ser verdadeiro consigo mesmo ou sacrificar-se em pelas pessoas que ele prometeu proteger. E as consequências de suas decisões, só o futuro mostrará. Um livro que viaja deliciosamente pelo passado e pelo presente dos personagens, mostrando como tudo na vida está ligado às escolhas realizadas.

Classificação:      


" Não podia ter mais que sete ou oito anos. Como adorava a música, o movimento, o ato de disciplinar o corpo; a barre fixada na sala do porão quarenta anos atrás ainda continuava ali, onde Lizzie outrora desempenhava os exercícios diáriosm a pequena série constante de passos: pliés, battements, port de bras, observando-se no espelho na parede do outro lado. Ainda treinava regularmente." Página 16


Por minhas três últimas solicitações à Bertrand Brasil vocês já devem ter percebido o quanto gostei das obras da autora Marcia Willett. Confesso que acabei solicitando Casa de Verão porque fiquei interessada no lançamento e gostaria de conferir a obra, mas quando li a biografia de Willett foi amor a primeira vista, afinal, ela é ex-bailarina. Vergonha de mim, mas o que me atraiu para a leitura quando já tinha a obra em mãos foi este pequeno fato. E que surpresa ao atestar que a obra era realmente boa. Isto me motivou a escolher A hora das crianças para leitura e a reação foi a mesma com o primeiro livro da autora a ser publicado pela Editora Bertrand Brasil, e, para fechar o ciclo, solicitei A Gaiola e acredito que a surpresa e minha reação foi inesperada. Vou explicar os motivos ao longo da resenha e vocês poderão entender melhor esta minha reação um tanto exagerada, mas já inicio este meu relato avisando que a obra é de leitura obrigatória. Fato. Não é puxa-saquismo para a editora nem para a autora, mas tenho certeza que ao conferir pelo menos uma das obras da Marcia Willett você entenderá o que estou falando. A leitura de A Gaiola é muito comovente e vai deixar você de boca aberta quando encerrar o livro. Tenho certeza que ficará assim como eu, querendo mais e mais. 


" - Posso acreditar - diz Felix, com sinceridade; a essa altura, já fora vezes suficientes à Gaiola para compreender que não havia nada de banal em Pidge, tampouco em Angel. A atmosfera cheia de calor humano e de tranquilidade tem uma qualidade curativa; ele consegue rir e provocar as duas sem o receio daquelas interpretações errôneas que, com Marina, resultam em gélidos e longos silêncios." Página 68


Lizzie Blake é uma atriz bastante conhecida por seus trabalhos e, em algum momento de sua vida, se vê confrontada com o passado. Perdeu o marido há pouco tempo e como sua mãe, Angel, e Pidge também já se foram a mulher acaba sendo motivada a buscar informações sobre seu passado. Quando pequena mudou com sua mãe, a atriz Angelica Blake, para junto de Pidge e a casa ficou conhecida pelas três como A Gaiola. Isto porque o nome de Pidge, em inglês, significa pombo e para mostrar aos visitantes o significado do nome dado à morada das três uma gaiola com três pombinhas foi colocada pendurada sobre o piano. Trinta e cinco anos depois Lizzie se vê sem rumo e retorna à gaiola, porém algo a assombra, e, a pequena gaiola que sempre estava pendurada não se encontra mais na casa. Pouco depois a mulher encontra um cartão que Angel enviou anos antes para Pidge e algumas memórias fluem para a superfície, fazendo-a se lembrar dos momentos felizes que teve junto da mãe, Pidge e Felix. Esta ida para o passado, em pensamentos, a motivou a ir para Dunster atrás do camarada de infância e amante de sua mãe que ela não via desde que tinha 11 ou 12 anos.

" Por que deveria encontrar alguma coisa ali para aliviar-lhe a dor ou responder às suas perguntas? Loucura pensar que Dunster guardasse algumas respostas." Página 158

Conhecendo um pouco mais sobre a vida na Gaiola, vamos agora conhecer um pouco mais sobre a vida de Felix Hamilton. Quem pode culpar um homem com seus trinta e tantos anos, constantemente posto na parede por sua mulher e seu ciúmes doentio por encontrar o amor, e uma família, nos braços de outra? Em uma  de suas idas para Bristol, Felix vai ao teatro em companhia de seus amigos e acaba conhecendo Angelica Blake e tornam-se amigos. O sentimento acaba evoluindo e os dois se envolvem emocionalmente, sendo que em suas idas mensais para a cidade faz visitas à Gaiola e suas passarinhas. Lizzie era apenas uma criança quando conheceu Felix e o amor de um pai, chegou até a insinuar que ele poderia ser seu pai se quisesse, mas com toda a delicadeza do mundo o camarada diz que já tem um filho, Piers, e a garotinha acaba ficando interessada em conhecer mais sobre o garoto. Em uma ação inconsequente de Angel, Marina descobre sobre o caso do marido e coloca um ponto final na relação. 

Piers, anos depois, já é avô e mora com sua nora, Tilda, e seu neto Jake em Michaelgarth. Casa em que foi muito feliz em sua infância compartilhada com o seu avô, David, e homônimo do filho falecido recentemente de Piers. Por conta disto, Tilda passa a viver com o sogro e com ele vêm a inconveniente Alisson, que lembra bastante Marina em alguns aspectos como o do ciúme e posse de Piers. Por uma jogada do destino Piers reconhece Lizzie e acabam conversando, a conversa tomou um rumo bastante delicado e ambos acabam abalados por terem compartilhado um passado, mesmo que indiretamente. 


" - Minha pobre Tilda. - Piers balançou a cabeça. - Isso não precisa ser uma espécie de disputa pelo seu afeto. Saul ou David. Aldershot ou Michaelgarth. O amor não é um bem finito, há bastante para todos. Pare de se inquietar e siga em frente. Sei o que David diria: ' Vai nessa, amor. A vida é curta demais." Página 394


Não sei como continuar a resenha sem soltar os benditos spoilers, isto é, se eu ainda não tiver escrito algo a mais. Com o desenrolar da história e os acontecimentos em Dunster você irá mergulhar a fundo no passado de Lizzie, Angel, Pidge, Felix, Marina e Piers e vai entender todas as consequências que esta "infidelidade" teve na vida de todos. Como já mencionei anteriormente e o livro também o fala, a dor e a perda foram os catalisadores para Lizzie ir atrás de seu passado e entender tudo o que aconteceu em sua infância. O caso da mãe, a partida repentina de Felix, a vida do camarada com Piers e tudo mais que teve influência direta em sua criação. O livro mescla situações que estão no presente e passado, mas nada que deixe a leitura muito confusa. O início da leitura não me chamou atenção, não que seja ruim, muito pelo contrário a escrita de Marcia Willet é impecável, mas acredito que não tive conexão direta com Lizzie no início. À medida que sua busca começa a ter resultados a leitura dá uma guinada e é impossível largar o livro, se eu dispusesse de tempo teria terminado a leitura em horas. 

A capa remete à gaiola e seus passarinhos que era pendurada acima do piano e teve papel essencial no reencontro de Felix e Lizzie. A personagem que mais me encantou foi Tilda e seu jeito espontâneo de encarar a vida e tudo aquilo que lhe aconteceu nos últimos meses. Saul também é um personagem bastante interessante e que dá brilho à narração. O único ponto negativo da história, não que conte muito para minha avaliação, foi a inclusão da história de Gemma e Guy que terminou sem quaisquer conclusões. Entendo o ponto da autora de inseri-los na história (afinal, ela é irmã de Saul), mas acredito que este fato poderia ter sido melhor trabalhado na obra. Independente disto, só tenho que afirmar que esta obra está em minha lista de favoritos. 


" Vi aquela mulher hoje em Dunster. Aquela atriz. É sua amante, não é? Tinha uma criança com ela. Não será sua filha, por algum acaso?" Página 395



10 comentários:

  1. Gostei muito da resenha!!
    Amo romance e esse parece ser muito lindo!
    Os quotes me deixaram muito curiosa.... Nunca li nada da autora mas fiquei muito curiosa pelo livro.

    ResponderExcluir
  2. Só amei mesmo por ele gostar da atriz, já de cara rs. Gostei do livro, parece ser muito fofo e uma história super bacana. Quero ler

    ResponderExcluir
  3. Já gostei logo de cara só por ter a atriz e ele gostar dela rs. Achei o livro super fofo, capa linda e a historia deve ser muito bacana! Quero ler.

    ResponderExcluir
  4. Que fofa a capa de A gaiola... Ainda não conheço nada da autora.
    E esse parece ser um romance ótimo, me deixou curiosa.

    Bjok

    ResponderExcluir
  5. Adorei a capa, bem fofinha e parece ser um livro gostoso de se ler! Resenha muito boa!

    ResponderExcluir
  6. Além da capa linda adorei o enredo do livro. Sempre que leio livros com atores como protagonistas o clichê aparece e todos acabam iguais. Mas esse parece bem diferente, gostaria muito de poder lê-lo.

    ResponderExcluir
  7. Gostei a principio desse livro por dois motivos: achei a capa super bonita e feminina e pelo que pude observar lendo a sua resenha a história do livro é bem desenvolvida. Gostei, despertou minha curiosidade em ler o livro.

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito da resenha!
    E pelas suas três resenhas já estou ficando apaixonada pela autora.
    O que fazer??? hahaha
    A capa é muito bonita e gosto de histórias que tratem de gerações.

    http://lisos-somos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Amei a resenha!
    A história é bonita, gosto de histórias que tratam de gerações e a capa é muito bonita.
    Estou ficando apaixonada pela autora só pelas suas resenhas.

    http://lisos-somos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Que capa mais linda! A história parece ser ótima, super fofa! Em breve, quero lê-lo!

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!