Lançamentos da Intrínseca

Olá, leitores.

Hoje venho trazer os lançamentos de outubro da nossa parceira, Editora Intrínseca. Os lançamentos estão bem variados e prometem agradar a todos os gostos. Dia 21/10 será lançado o livro Rede de Sussurros, que foi enviado aos assinantes do Intrínsecos em uma das caixinhas. Confiram mais:



Samuel está a caminho de Roma para encontrar seu filho, Elio, agora um pianista renomado. O acaso, no entanto, se encarrega de adiar a reunião familiar e faz com que Samuel desembarque na cidade eterna acompanhado de um novo amor e cheio de planos para novas temporadas em sua casa de veraneio.

Elio logo se muda para Paris, onde vive mais um romance, enquanto Oliver, agora pai de família e professor na Nova Inglaterra, nos Estados Unidos, cogita enfim cruzar de novo o Atlântico. O que o move inesperadamente são os primeiros acordes de uma música que o transporta no tempo para dias de idílio na Itália. [+]



Há anos, Sloane, Ardie e Gracie trabalham juntas em uma empresa de roupas esportivas. As três sempre se ajudaram, passando por promoções empolgantes, reuniões intermináveis, casamento, maternidade, divórcio e os desafios impostos pela política no escritório. Elas também têm seus segredos e cada uma fez algo de que se arrepende.

Com a morte repentina do presidente da empresa, tudo indica que Ames, o chefe delas, será alçado à liderança da companhia. Ames é um homem complicado, que as três conhecem há muito tempo e que sempre esteve cercado por sussurros a respeito do tratamento que dispensa às subordinadas. Esses sussurros vinham sendo ignorados, varridos para debaixo do tapete e acobertados por aqueles que estão no poder. [+]



Os tempos estão difíceis para ex-deidades que quase destruíram a humanidade, foram expulsas do Olimpo, perderam os poderes divinos e, de quebra, conquistaram a antipatia de imperadores sanguinários. Apolo, o deus mais glorioso e belo que já existiu, agora é Lester Papadopoulos, um adolescente desajeitado de 16 anos que, para reconquistar seu lugar, precisa libertar cinco oráculos que estão na mais completa escuridão.

Não é de hoje que Apolo tem passado por poucas e boas em sua temporada terrena. Nos três livros já publicados da série As provações de Apolo, vimos o ex-deus enfrentar terríveis inimigos: um psicopata piromaníaco, um crush das antigas com sede de vingança e até um dos imperadores mais temidos da Antiguidade. Como se isso já não fosse o bastante, ele só pôde contar com sua inteligência e sagacidade humanas (bem reduzidas, como é de se esperar), já que seus poderes foram extintos por tempo indeterminado. A sorte é que nessa jornada ele teve a ajuda de amigos valiosos, como Percy Jackson, Leo Valdez e Meg McCaffrey. [+]



Vinícius Dônola é a cara e a voz que o grande público conhece por suas reportagens de televisão, transmitidas pelas principais emissoras do país. Histórias das histórias que contei narra os bastidores de uma breve seleção das mais de mil matérias que o jornalista apresentou ao longo de sua carreira. No livro, Dônola relembra casos marcantes, como a premiada denúncia sobre a execução de um fugitivo pela polícia, à luz do dia, em frente a um movimentado shopping do Rio de Janeiro na década de 1990. Ou quando, ao se debruçar sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco, descobriu que a arma utilizada no crime era diferente da considerada inicialmente pela investigação. [+]



 Para o mês das crianças, preparamos o lançamento dos dois primeiros volumes de uma coleção inesquecível, que vai encantar pequenos e adultos. Com graça e desenvoltura, a Coleção Jovens Pensadores reúne o primoroso estilo de Andrea Beaty e as belas ilustrações de David Roberts para contar histórias de crianças corajosas que começam a descobrir suas aptidões e a desbravar o mundo.

Em edição de luxo, com formato especial, capa dura e ilustrações coloridas, os livros são escritos em versos e recheados de rimas, tornando-se uma leitura prazerosa e dinâmica. Em Ada Batista, cientista, todos vão se inspirar e se divertir com Ada, uma garotinha tímida e questionadora que faz da curiosidade sua maior aliada. Já em Paulo Roberto, arquiteto vamos conhecer um menino ousado e criativo, com talento para elaborar as construções mais inusitadas. [+]



Quando Steve Jobs morreu, muita gente se perguntou qual seria o destino da Apple. Afinal, Jobs não era apenas seu fundador, mas também o rosto de uma das maiores marcas do planeta. Sua morte deixou um grande vazio, e na época era difícil imaginar alguém que um dia pudesse substituí-lo à altura. Quando as especulações começaram, especialistas e público estavam prontos para fazer suas apostas sobre o novo grande líder do ramo. Nem todos chegaram a pensar, é claro, em um cara discreto do setor operacional. Um cara como Tim Cook. [+]


https://www.intrinseca.com.br
 

Resenha: O construtor de pontes - Markus Zusak

Editora: Intrínseca
Ano: 2019
Páginas: 528

Se em A menina que roubava livros é a morte quem conta a história, em O construtor de pontes, novo romance de Markus Zusak, presente e passado se fundem na voz de outro narrador igualmente potente: Matthew, o filho mais velho da família Dunbar. Sentado na cozinha de casa diante de uma máquina de escrever antiga, ele precisa nos contar sobre um dos seus quatro irmãos, Clay. Tudo aconteceu com ele. Todos mudaram por causa dele.
Anos antes, os cinco garotos haviam sido abandonados pelo pai sem qualquer explicação. No entanto, em uma tarde ensolarada e abafada o patriarca retorna com um pedido inusitado: precisa de ajuda para construir uma ponte. Escorraçado pelos jovens e por Aquiles, a mula de estimação da família, o homem vai embora novamente, mas deixa seu endereço num pedaço de papel. Acontece que havia um traidor entre eles: Clay.
É Clay, então, quem parte para a cidade do pai, e os dois, juntos, se dedicam ao projeto mais ambicioso e grandioso de suas vidas: uma ponte feita de pedras e também de lembranças — lembranças da mãe, do pai, dos irmãos e dele mesmo, do garoto que foi um dia, antes de tudo mudar. O tempo, assim como o rio sob a ponte, tem uma força avassaladora, capaz de destruir, mas também de construir novos caminhos.
O construtor de pontes narra a jornada de uma família marcada pela culpa e pela morte. Com uma linguagem poética e inventiva, Markus Zusak nos presenteia mais uma vez com uma história inesquecível, uma trama arrebatadora sobre o amor e o perdão em tempos de caos.


Classificação:    




"Cinema e pipoca de plástico não aumentam as chances de aniquilamento, né? Não, o problema era mais uma compilação: um melhores momentos de duas pessoas que correram o mais rápido que puderam juntas, mas acabaram definhando no fim." Página 174


O construtor de pontes foi lançado no Brasil na terceira caixinha do Intrínsecos e em edição normal em fevereiro deste ano, porém fiz a leitura somente no último mês e me arrependi de ter esperado tanto tempo para solicitar a obra para a Intrínseca. Markus Zusak me conquistou com A menina que roubava livros e com O construtor de pontes não foi diferente, esta é uma história envolvente que nos faz acompanhar a dinâmica da família Dunbar e o quanto um dos irmãos ensina aos outros sobre perseverança, amor e perdão.

O livro é dividido em oito partes que mesclam o passado e o presente, contextualizando ao leitor sobre a vida dos personagens, tudo o que o pai dos garotos Dunbar passou desde um primeiro casamento fracassado, o casamento com a Rainha dos Erros - apelido de Penélope, mãe dos garotos - sua morte e o afastamento do pai, além de sua volta e o convite para a construção da ponte junto de seus filhos. Apesar do pedido de desculpas, os irmãos não o perdoam pelo abandono no momento em que mais precisavam, porém Clay decide acompanhar o pai e se dedica a construção da ponte. 

Apesar de ser importante conhecer o passado e tudo o que levou até a construção da ponte, em alguns momentos tive que parar a leitura, pois fica um tanto confusa com as mudanças. Com o passar dos capítulos peguei o ritmo e a leitura fluiu, isto aconteceu quando li A menina que roubava livros, então pode ser uma característica da escrita do autor. Esta é uma história sobre amor, perdão, redenção e família, escrita de forma singular e que cativa os leitores por suas mensagens e escolhas simbólicas feitas pelo autor.
 



"Para começo de conversa, não era nem para Penélope estar ali.
Não era para nosso pai ter se divorciado.
Mas lá estavam, seguindo em frente, dando o melhor de si rumo a uma linha de chegada. Esperaram a contagem regressiva feito esquiadores no topo da montanha, e pressionaram a tecla na hora do já. O resto é história." Página 200



O construtor de pontes foi uma das minhas últimas leituras e uma das únicas que fiz de romance este ano, então acabou me cativando com as lições que o autor nos dá ao longo da narração. Clay é um personagem que nos mostra o quanto o perdão pode ser difícil, mas em algumas vezes não sabemos os motivos que levaram a pessoa tomar tal atitude e mesmo assim precisamos conviver com as consequências. A ponte, construída pelos personagens, pode ser um símbolo para o perdão e este projeto do pai dos garotos Dunbar foi extremamente audacioso e provavelmente o que todos precisavam para um recomeço. 

A capa é chamativa pelas cores fortes e os detalhes das teclas começam a fazer sentido quando você conhece mais sobre o passado dos pais dos garotos Dunbar, o livro é dividido em oito partes e estas mesclam o passado e presente, tornando a leitura mais completa, e um tanto confusa em algumas partes. A diagramação está boa, letras em bom tamanho, capítulos curtos, porém em alguns momentos acabei achando a leitura arrastada, porém não desisti e no final tudo compensou. A mensagem do livro é linda e faz com que o leitor reflita sobre suas decisões ao longo da vida que o fizeram se afastar de pessoas, e cogitar o perdão, assim como fizeram os personagens. 



"Acho que era a combinação perfeita de amor nos tempos do caos e amor nos tempos do controle; éramos puxados para os dois lados, e vivíamos entre extremos." Página 344




Resenha: Na boca do leão - Anne Holt (Hanne Wilhelmsen #4)

Editora: Fundamento
Ano: 2019
Páginas: 400

Compre: Submarino, Americanas, Shoptime

Um crime misterioso abala um país. E, até que se descubra o culpado, todos são suspeitos.


Birgitte Volter era conhecida por governar com mãos de aço, ocupando com sua personalidade forte o cargo de primeira-ministra da Noruega.

Quando, em uma tarde qualquer, ela é encontrada assassinada em seu gabinete, atrás de portas fechadas, o choque toma conta da nação.

Determinada a elucidar esse mistério, a detetive Hanne Wilhelmsen interrompe suas férias para acompanhar o caso. No entanto, parece não haver pistas suficientes que levem ao assassino. Seria um crime político? Ou um assassinato por razões pessoais?

O jogo político bate de frente com a investigação criminal. A imprensa, em busca de respostas, acaba se tornando um empecilho para que a justiça seja feita. A disputa pelo poder e os segredos do passado são ingredientes que se somam à trama e tornam a missão de Hanne ainda mais complexa. Ela precisa descobrir quem é o assassino e sua motivação, antes que mais sangue seja derramado e o país convulsione.

E o tempo está correndo. Será possível deter o criminoso antes que ele faça mais vítimas?

Um thriller policial em que ninguém é o que parece.
Uma caçada de tirar o fôlego, com um final surpreendente.
Prepare-se para se ver Na boca do leão!



Classificação:    



"A reportagem impressionava, mas trazia apenas informações que ela já conhecia. Assim, Hanne nem se deu ao trabalho de ler mais nada. Mas pelo menos teve que admitir que dessa vez os jornais marcaram um ponto. Era intrigante o fato de Benjamin Grinde ter morrido oito dias depois de Birgitte Volter." Página 233



Na boca do leão é o quarto livro da série Hanne Wilhelmsen, que acompanha os casos investigados pela policial de Oslo e seus companheiros de farda. Neste quarto livro Hanne investiga a morte de Birgitte Volter, a primeira-ministra da Noruega, que morreu em seu escritório, sozinha, com um ferimento por arma de fogo em sua cabeça. 

Billy T. é o policial designado para investigar a morte de Birgitte Volter, porém conta com a ajuda de Hanne Wilhelmsen, que acaba interrompendo suas férias para dar apoio ao colega. Uma semana depois da morte da primeira-ministra, a polícia é informada da morte de Benjamin Grinde, o juiz do Supremo Tribunal, e uma das últimas pessoas a ver Birgitte Volter com vida, então a investigação de ambos os casos precisa ser analisada de outra perspectiva. 

Enquanto o Departamento de Polícia de Oslo investiga as duas mortes, um novo escândalo surge e pode ter ligação com a morte dos dois políticos. Em 1965 uma vacina foi distribuída para as crianças e houveram algumas mortes, então a polícia precisa analisar se a morte de duas figuras políticas têm relação com a morte dos bebês na década de 60. 

Na boca do leão é uma leitura indicada para os amantes de livros investigativos e policiais. Anne Holt é uma das autoras que tenho lido bastante nos últimos tempos, fiz a leitura de cinco livros da série Hanne Whilhelmsen e espero que a Editora Fundamento lance os outros em breve. A forma com que a autora conduz a história, soltando as informações aos poucos e fazendo o leitor criar diversas teorias antes de descobrir o que realmente aconteceu é um dos motivos que me fazem continuar gostando da série, além dos personagens e as histórias interessantes. Hanne é uma protagonista que me cativou por causa da sua personalidade e a forma com que ela investiga os casos, buscando sempre descobrir o que aconteceu com suas vítimas. 

A capa do livro é bastante chamativa e mantém o padrão da série, assim como a diagramação. Os capítulos bem divididos e na página inicial retomam um elemento da capa, além de considerar o dia e a hora dos acontecimentos o que facilita a leitura e a identificação dos fatos, letras em bom tamanho e páginas amareladas tornam a leitura fluida.  Na boca do leão foi um dos livros que mais gostei da série e sem dúvida indico para todos os leitores que gostam do gênero e querem acompanhar uma boa investigação criminal.



"- Eu tenho um forte pressentimento de que a morte do bebê de Birgitte Volter é mais relevante para o caso do assassinato do que o atual escândalo da Saúde. Acho que nos perdemos nos detalhes de todos os outros bebês que morreram. E acho que você está certo sobre o guarda. Algo o liga a isso também. Por acaso nasceu em 1965?
- Não. Ele é muito mais novo." Página 305


Unboxing - Intrínsecos 012

Boa tarde, leitores.

A postagem de hoje é para mostrar como foi a caixinha 012 do Clube da Intrínseca, o Intrínsecos. Já falei bastante sobre ele aqui no blog e nas redes sociais, mas para quem não conhece os planos e como fazer a assinatura basta acessar o link que deixarei no final desta postagem ou conferir as postagens que já fiz sobre as caixas anteriores.

Em setembro o Intrínsecos completou um ano e foi a primeira caixinha que recebi como assinante, então foi muito especial e foi no mês do meu aniversário (felicidade em dobro). Esta caixinha foi preparada em comemoração ao um ano do Intrínsecos e os assinantes receberam dois livros, ao invés de um, como é o padrão. 




O layout da caixinha também foi diferenciado, como vocês podem perceber pela foto a indicação de um ano do Intrínsecos e a parte de cima mostrava o nome de todos os autores que tiveram seus livros nas edições do clube. 





Os livros que recebemos foram: CEM e UM CAMINHO PARA A LIBERDADE. De brinde recebemos marcadores magnéticos, um postal e um marcador do livro da Jojo Moyes e a revistinha que é preparada pela editora para dar mais informações aos leitores sobre os livros enviados.



  




 


Ainda não vou fazer o Unboxing do livro de Outubro para não estragar a surpresa dos leitores que ainda não receberam, mas até o final do mês trago a postagem e posso garantir que a caixinha é maravilhosa. Para aqueles que querem saber mais sobre o clube, podem conferir as informações AQUI

Aproveitem para garantir a caixinha de novembro, que contará com um brinde a mais - todos os leitores vão receber marcadores dos livros clássicos da editora, que foram escolhidos pelos próprios asssinantes. 

 

[Top comentarista de outubro]

Olá, leitores.

Em outubro o prêmio para o top comentarista será o livro MEDICINA DOS HORRORES, publicado pela Editora Intrínseca. Para concorrer basta deixar um comentário nessa postagem e comentar nas postagens do blog. O sorteio será como o que foi realizado anteriormente, não será necessário comentar em todas as postagens, mas a cada comentário é uma chance a mais de ganhar.


REGRAS:

  • Deixar um comentário nesta postagem com seu nome completo e e-mail para contato.
  • As postagens de promoções não serão válidas para o Top Comentarista.
  • Será contabilizado apenas um comentário por postagem.
  • O ganhador deverá ter endereço de entrega no Brasil.
  • A promoção é válida de 01/10/2019 a 31/10/2019 e os comentários deverão ser feitos até a data estipulada para o último dia da promoção e apenas em postagens publicadas entre estas datas. Lembrem-se de comentar algo RELEVANTE e que mostre que você leu a postagem.
  • O vencedor deverá responder o e-mail enviado pelo blog em até 4 dias. Caso não o faça, o sorteio será refeito.
  • O prêmio será enviado pela editora em até 45 dias contados a partir da resposta do vencedor. Em caso de atrasos o vencedor será informado.

[Resultado - Top comentarista de Agosto]

Olá, leitores.

Confesso que esse mês de setembro foi atípico para o blog. Precisei ficar um pouco mais afastada e atrasei o resultado do top comentarista, além disso não consegui fazer postagens, mas estou com três livros para publicar as resenhas nos próximos dias e muitos conteúdos programados. Sem mais enrolação, vou apresentar para vocês o sorteado que irá levar para casa o livro da Editora Fundamento - Na boca do leão

Em agosto tivemos 5 postagens válidas para o top comentarista:

1.Resenha: Mapa dos dias - Ransom Riggs
2.[1 ano de Intrínsecos]
3.Lançamentos da Intrínseca

4.Resenha: Mundo em Caos - Patrick Ness
5.Resenha: Areia Movediça - Malin Persson Giolito

 A postagem sorteada é:
 

Na resenha de Mundo em Caos foram seis comentários válidos e o sorteado foi:

Parabéns, Rayane. Entrarei em contato por e-mail para solicitar seus dados. Agradeço a todos pela participação e logo publico o top comentarista de Outubro, fiquem de olho.

Resenha: Areia Movediça - Malin Persson Giolito

Editora: Intrínseca
Ano: 2019
Páginas: 352


Toda história tem mais de um lado. Em qual deles você vai acreditar?

A vida de Maja Norberg parecia incrível: ela era jovem, bonita, inteligente e popular. Nada iria dar errado. Até que houve o tiroteio na escola: seu namorado e sua melhor amiga estão mortos e ela é a única acusada dos crimes. Maja não consegue refazer mentalmente os caminhos que a colocaram nessa situação, mas uma coisa é certa: ela é a adolescente mais odiada da Suécia.

Após nove meses na prisão, é hora do julgamento. Os advogados estão usando todos os recursos possíveis para provar sua inocência, mas a promotoria, a mídia e os olhares de todos à sua volta nitidamente desejam o oposto.

Narrado do ponto de vista de Maja, que trata o leitor como um confidente, Areia movediça entrelaça as memórias da garota a um cenário de tensão racial e econômica que, aos poucos, ajuda a revelar as peças de um surpreendente quebra-cabeças. Panorama perspicaz de uma juventude desmoronando, o livro toca em temas como imigração, conflito de classes e o isolamento adolescente, embalados por uma ótima narrativa de crime e tribunal. [+]



Classificação:    





"Sempre havia algo mais dentro dele. Era mais do que tristeza. Não era ódio; o ódio é simples, e Sebastian nunca foi fácil de entender. Nunca tive medo do que ele poderia fazer comigo, nem mesmo no fim, mas estava sempre ansiosa. Mesmo naquelas primeiras semanas, tudo era sempre mais de uma coisa, era uma mistura: difícil, fácil e agradável, engraçado, horrível e maravilhoso." Página 188



Areia Movediça é o livro de autoria de Malin Persson Giolito cuja série homônima lançada pela Netflix foi baseada, no Brasil a obra foi lançada pela Editora Intrínseca e desde a divulgação do lançamento - tanto do livro, quanto da série - fiquei interessada em conferir a história. Sou apaixonada pela área de investigação criminal e este livro apresenta o crime, além de toda a investigação e o júri, o que torna a leitura completa e interessante para aqueles leitores que gostam deste gênero.

Maja Norberg é uma adolescente aparentemente normal, seu namorado Sebastian vêm de uma família com boas condições financeiras e ela acaba aproveitando todas as oportunidades que o dinheiro lhe proporciona. Um dia tudo muda, Sebastian invade a sala de aula e mata seus colegas de classe, e Maja é a única sobrevivente do massacre. Agora a adolescente está sendo julgada como cúmplice do namorado e apesar de as chances de ser inocentada serem mínimas, Maja não desiste de provar sua inocência, apesar de ser a responsável pela morte de Sebastian, ela afirma que não sabia dos planos de Sebastian para aquela manhã.

Areia Movediça é um livro envolvente e que mostra ao leitor o antes e o depois da vida de Maja, dando a oportunidade de conhecer melhor as nuances e a personalidade da protagonista, além de ter uma visão dos motivos de Sebastian para fazer o que fez. Outra personagem de importância na história é Amanda, melhor amiga e confidente de Maja, que foi uma das vítimas do ataque à escola, além de ser peça fundamental para a investigação do que aconteceu, é uma das personagens bastante exploradas durante a apresentação da história de Maja.

A autora traz em Areia Movediça questionamentos sobre a sociedade em que vivemos, além de mostrar os diversos gatilhos que poderiam ter motivado Sebastian a cometer este crime. São abordados no livro temas como a diferença entre classes sociais, imigração, o distanciamento dos adolescentes, drogas, conflitos raciais e depressão, o que torna a leitura um pouco difícil se você é sensível a temas mais complicados de serem abordados. O desfecho da história me surpreendeu e pretendo assistir a série na Netflix logo para ver como ficou a adaptação do livro para as telas.

O trabalho editorial não deixou a desejar, a capa filme chama atenção dos leitores que - assim como eu - gostam desse estilo de capa. Os capítulos são bem divididos e em bom tamanho, tornando a leitura fluida, e há uma divisão bem marcada quando há cenas de flashbacks da vida de Maja. O livro ser contado em primeira pessoa pela protagonista dá ao leitor uma melhor visão de como Maja está enfrentando tudo o que tem passado ao longo de sua adolescência e o quanto sua vida mudou após o atentado de Sebastian, a cobertura da mídia é bastante explorada na narração e por ser um crime que tem como país a Suécia, acaba sendo bem mais noticiado do que seria se a autora escolhesse os EUA como país de origem, por exemplo. Esta leitura é indicada para os leitores que são apaixonados por histórias de investigação criminal e aqueles que se interessaram pela premissa da série, tenho certeza de que não irão se arrepender.




"Não consigo ver os jornalistas, mas sua empolgação com essa nova história aumentou em vários graus a temperatura no tribunal. Eles estão ansiosos para relatar isso, e já esqueceram de que há pouco estavam contando uma história completamente diferente. Agora, eles permitirão que seus leitores e espectadores conheçam de verdade  o homem mais rico da Suécia." Página 209

Resenha: Mundo em Caos - Patrick Ness

Editora: Intrínseca
Ano: 2019
Páginas: 480
Compre: Americanas, Submarino, Shoptime




Em um mundo pós-apocalíptico, uma infecção rara e perigosa causou o inimaginável: a morte de todas as mulheres. O mesmo germe fez com que os pensamentos dos homens se tornassem audíveis, e agora o caótico Ruído está por toda parte. É impossível guardar segredos no Novo Mundo.

Todd Hewitt é o único garoto entre os homens da cidade de Prentisstown, e mal pode esperar para se tornar um deles. No entanto, o lugar esconde algo grave, capaz de mudar o futuro de Todd e do Novo Mundo para sempre. A apenas um mês de se tornar homem, um segredo impensável é revelado, e ele se vê forçado a fugir antes que seja tarde demais. Acompanhado por seu fiel escudeiro, o cachorro Manchee, ele empreende uma jornada repleta de perigos e se depara com uma criatura estranha e silenciosa: uma garota. Mas quem é ela? E por que não foi morta pelo germe como todas as mulheres? [+]



Classificação:    




"Eu podia aproveitar esse momento para começar a fazer perguntas, tipo, agora que ela está falando, eu podia sair perguntando tudo que me vier na cabeça sobre quem ela é, de onde ela vem, o que aconteceu, e as perguntas estão no meu Ruído todo, voando para cima dela como balas, mas é tanta coisa querendo sair da minha boca que acaba não saindo nada, então minha boca não mexe, e ela vai lá e coloca a bolsa no ombro, ainda olhando pro chão, e sai andando, passa por mim e por Manchee e segue na direção da trilha." Página 130



Mundo em Caos é o primeiro volume da série homônima de autoria de Patrick Ness e lançada no Brasil pela Editora Intrínseca. Confesso que logo que fiz a postagem sobre os lançamentos da editora, Mundo em Caos me chamou a atenção pela capa e assim que li a sinopse não tive dúvidas de que queria conhecer a história do Novo Mundo e de Todd Hewitt. Este é um livro diferente de todos os que já tive a oportunidade de ler e acaba se tornando bastante envolvente com o avançar da história e já estou ansiosa para ter a oportunidade de ler a continuação, pois o desfecho da obra aguçou minha curiosidade para saber como será a vida de Todd após tudo o que ele passou durante este primeiro volume.

Em Prentisstown todos os garotos se tornam homens em seu aniversário de 13 anos, Todd Hewitt é o último garoto da cidade e espera ansioso por esse dia. Ao contrário da maioria dos homens, Todd sempre conheceu o mundo como ele é agora - com o germe do Ruído tendo dizimado as mulheres, os pensamentos dos homens sendo de conhecimento de todos por causa do Ruído e os animais falando. Com a ajuda de Ben e Cillian, o garoto teve uma vida aparentemente normal, porém quando Todd começa a entender que o mundo como ele conhece nem sempre foi assim uma aventura de inicia. O garoto, acompanhado de Manchee - seu cachorro - foge de Prentisstown e uma caçada se inicia. O prefeito Prentiss não aceita esta fuga e envia um exército atrás do garoto para capturá-lo. 

Apesar de não saber exatamente do que está fugindo, Todd segue pelo pântano em busca de uma cura para o Ruído e em sua jornada conhece alguém que o faz questionar sua vida até agora: uma garota. A nave que Viola estava com seus pais sofre uma queda no Novo Mundo e aos poucos a interação entre os dois começa a preencher os vazios nas histórias que ambos conheciam sobre suas vidas.



"Um monte de pergunta surge na nossa cabeça durante a fuga, coisas que a gente nunca vai saber a resposta: por que o prefeito e uns homens percorreram tantos quilômetros para atacar toda uma maldita cidade sozinho por que eles ainda tão atrás da gente? Por que a gente é tão importante? E o que aconteceu com Hildy?" Página 200



Mundo em Caos é uma leitura envolvente e o leitor fica ansioso para descobrir o que irá acontecer a seguir na aventura de Todd e Viola. Uma história cheia de surpresas e que conduz o leitor a conhecer todos os segredos de Prentisstown e do Novo Mundo. Neste primeiro volume da trilogia temos uma visão mais ampla da história e com o passar das páginas alguns segredos são revelados para aguçar a curiosidade do leitor, então não vejo a hora de que a Editora Intrínseca faça os lançamentos dos próximos volumes para descobrir como Todd e Viola conseguiram superar as adversidades em suas vidas.

A edição feita pela Intrínseca está impecável, a capa já chama atenção por si só, mas o interior do livro está tão bonito quanto ela. O contorno das páginas é vermelho e as cores fortes utilizadas para a edição dão uma identidade visual marcante para a obra. O interior do livro utiliza da cor preta para marcar a divisão das partes da história e de fontes mais fortes, de tamanho diferenciado, para evidenciar o Ruído dos personagens. No início da leitura estranhei um pouco essa dinâmica dos Ruídos e a linguagem coloquial utilizada pelo autor na comunicação dos personagens e descrição das cenas, porém isso só tornou a leitura ainda mais única. Não vejo a hora de ter em mãos a continuação de Mundo em Caos e descobrir o que aconteceu com Todd e Viola após toda a sua jornada em busca de respostas. 




"Conheço Viola faz só três dias, sabe? Três malditos dias da minha vida inteira, mas é como se tudo que veio antes não tivesse acontecido de verdade, como se fosse tudo uma grande mentira só esperando que eu descobrisse. Quer dizer, não "como se fosse", era uma grande mentira  esperando que eu descobrisse, e isso é a vida real agora, fugir sem segurança, nem resposta, só se mantendo em movimento, sempre em movimento." Página 220




Lançamentos da Intrínseca

Boa noite, leitores.

Confiram os lançamentos de agosto da nossa parceira Editora Intrínseca: 




Rapazes e garotas estão sendo criados em escolas especiais. Um grupo não sabe da existência do outro — até agora. No alto de uma torre embrenhada em uma floresta e isolada do restante do mundo, temos J. Ele é um dos vinte e seis rapazes de um internato que tem como objetivo formar prodígios em artes, ciências e atletismo.

Até hoje J só teve contato com as outras pessoas que vivem ali: os colegas são sua única família e todos acreditam ser filhos do fundador da escola. A vida acadêmica é tudo o que conhecem — e tudo o que lhes é permitido conhecer. Mas J suspeita da existência de algo mais fora dali, para além da Torre em que vive, algo que não querem que ele veja. É então que começa a questionar. Qual o verdadeiro propósito daquele lugar? Por que os alunos não podem sair? E que segredos o pai está escondendo deles? Enquanto isso, do outro lado da floresta, em um internato muito parecido com o de J, uma jovem chamada K vem se fazendo as mesmas perguntas.

Ao investigar os mistérios por trás de suas estranhas escolas, talvez os dois acabem descobrindo algo... que não deveriam. [+]

 

Aos 15 anos, Will conhece intimamente a violência. Ela está à espreita no dia a dia de seu bairro, nos avisos para que não volte tarde para casa, nos sussurros dos vizinhos sobre mais uma pessoa que foi morta. Dessa vez, os sussurros são sobre seu irmão mais velho. Shawn foi assassinado na rua onde a família mora.

Contado do ponto de vista de Will, Daqui pra baixo é uma narrativa ágil que se passa em pouco mais de um minuto — o tempo que o elevador do prédio leva para chegar ao térreo. Esse é o tempo que Will tem para descobrir se vai seguir as regras de sua comunidade ou se é possível não perpetuar o ciclo de violência. [+]



Você sabe que não deveria fazer, mas faz. Sabe que deveria fazer, mas não faz. De novo e de novo e de novo. Sua carreira estagnou, você não consegue encontrar sua alma gêmea, economizar parece impossível, ter uma rotina saudável, então, nem se fala... As reclamações são inúmeras, mas o motivo é sempre o mesmo: a autossabotagem. E com certeza você já se cansou disso.

Se você deseja sair desse aglomerado de comportamentos confusos e autodestrutivos, não dá para continuar reagindo no piloto automático. Você precisa parar de culpar os outros pela situação em que se encontra. A responsabilidade não é dos seus pais, do seu cônjuge, dos seus amigos. É sua. E a mudança também deve começar por você. [+]



Todo ano, Caroline, Mariana e Hélio costumavam deixar a capital paulista para encontrar Paulo, um jovem habituado à simples vida caiçara. No entanto, a amizade construída nas areias do litoral sofreu abalos sísmicos no Réveillon de 1999, quando algo tão inquietante quanto o bug do milênio abriu caminho para uma misteriosa ilha que despontava no horizonte, e explorá-la talvez não tenha sido a melhor decisão.

Sobreviver à Ilha das Cobras tem um preço. O arquipélago é um ambiente hostil, tomado por víboras, e esconde segredos tão perturbadores quanto seus habitantes. Mais do que um equívoco darwiniano ou uma lenda popular, a ilha praticamente destruiu a vida deles. Entre memórias e fatos fragmentados, o que aconteceu naquela fatídica noite se tornou um mistério. Mas de algumas coisas eles se lembram perfeitamente: uma enorme e ameaçadora serpente, além de uma pessoa sendo entregue ao ninho da víbora, um sacrifício sem chance de recusa. [+]


Após os julgamentos de Nuremberg e o começo da Guerra Fria, os vencedores da Segunda Guerra se deram por satisfeitos e perderam o interesse em punir os nazistas que cometeram crimes durante o conflito. Caçadores de nazistas coloca em foco a pequena parcela de pessoas que atuou — tanto em cargos oficiais quanto de forma independente — para reverter o êxito inicial desses criminosos de guerra e impedir que o mundo esquecesse seus atos. Com determinação e coragem, esses homens e mulheres seguiram lutando mesmo enquanto os países vitoriosos e o resto do mundo se tornavam cada vez mais indiferentes ao destino desses infratores. [+]



Andre Agassi não é apenas um dos maiores esportistas da história, mas uma figura icônica do tênis pelo jeito único como jogava e pela personalidade um tanto rebelde sempre em evidência. Por trás dos brincos e do cabelo comprido, se escondia um jovem em busca dos próprios desejos reprimidos por uma infância e adolescência totalmente voltadas para a construção do melhor tenista do mundo.

Essa autobiografia revela os bastidores dessa trajetória tão extraordinária quanto dolorosa e humana. Agassi relata com sinceridade o tempo que passou com Barbra Streisand, o seu casamento com Brooke Shields e a história de amor com Stefanie Graf. Revela o peso do treinamento e da pressão que sofreu desde muito jovem para alcançar o seu potencial máximo. E narra sua espetacular ressurreição, o regresso às quadras, cujo clímax foi a épica campanha de Roland Garros em 1999, culminando com o recorde de ser o tenista mais velho a se tornar o número 1 do mundo. [+]



https://www.intrinseca.com.br/catalogo/?pagenum=1