Resenha: Madeleine - Kate McCann

Editora: Prumo
Ano: 2011
Páginas: 424


Madeleine. Ainda desaparecida, jamais esquecida. "É um fato triste que nenhuma força policial esteja procurando ativamente por Madeleine (assim como é o caso de muitas outras crianças desaparecidas). Tenho certeza que este livro revigorará a busca por nossa filha e o público apoiará novamente a campanha Find Madeleine (Encontre Madeleine). Simplesmente é inaceitável que as autoridades tenham desistido de Madeleine - especialmente por não ter havido prosseguimento das investigações. Nossa filha e quem a levou estão por aí. Precisamos de sua ajuda para encontrá-los". Gerry McCann



" No momento em que eu abria os olhos, Madeleine era a primeira coisa em que eu pensava e imediatamente começava a sentir um peso doído no meu peito, além de um medo inquietante." Página 127


Madeleine, sem dúvida, foi o livro mais difícil que já li em toda a minha vida. Não sei se isso aconteceu por estar acompanhando o caso desde 2007 ou se as palavras angustiadas de Kate McCann cumpriram a sua missão e me fizeram refletir sobre o assunto, ou quem sabe foi a culpa que carrego de ter acreditado que Kate e Gerry haviam mesmo assassinado a pequena Madeleine. Em minha defesa este tipo de agressões contra filhos existem, os Nardoni estão aí para corroborar a afirmação, porém como a professora que orienta meu TCC na faculdade comentou não há como levar quaisquer informações sobre este caso como verdadeiras, afinal, Madeleine não foi encontrada viva ou morta.

Sobre o caso o que sabemos de real é que por volta das 21 horas do dia 3 de maio de 2007 a menina britânica Madeleine Beth McCann foi levada de sua cama no quarto, do Ocean Clube em Portugal, em que dividia com os irmãos mais novos Sean e Amelie. Enquanto isso seus pais estavam jantando em um estabelecimento não muito longe do apartamento 5A. De acordo com relatos os casais de amigos dos McCann estavam monitorando as crianças, frequentemente, e às 10 horas da noite Kate foi verificar os filhos e percebeu que Madeleine não estava na cama. Uma das amigas do casal afirmou ter visto um homem por volta das 21 horas e 15 minutos perto do apartamento 5A, em que as três crianças estavam adormecidas, e este sujeito parecia estar carregando uma criança loira, de pijamas, e parecia desconfortável com a criança em seus braços. Jane, que serviu de testemunha no caso, nunca imaginou que o homem que havia visto carregando a criança poderia, de fato, estar sequestrando Madeleine, filha do casal de amigos com quem estava passando férias na Praia da Luz.



" Diante do enorme apoio que recebemos, tínhamos a obrigação moral de tentar fazer algo para tornar a Europa um lugar mais seguro para todas as crianças. Se, Deus nos livre, não pudéssemos ajudar Madeleine. Estávamos decididos a gerar algum serviço duradouro a partir de nosso pesadelo." Página 202



O caso invadiu a mídia mundial com muita força e os pais de Madeleine fizeram tudo para conseguir trazê-la sã e salva para seu lar, porém a garotinha está desaparecida desde então. Parecia que havia sumido no ar, o que deu margem para muitas teorias por parte da polícia, mídia e população, e algum tempo depois os pais foram considerados os principais suspeitos de terem assassinado Madeleine e ocultado seu corpo. Nesta época a mídia que estava voltada para a divulgação de toda e qualquer amenidade a respeito deste caso virou-se contra os McCann e a cada dia surgia uma nova manchete acusando e difamando o casal. Acredito que grande parte da população que acompanhava o caso confiou na mídia e criou suas próprias teorias, sou uma destas pessoas, mas com os relatos de Kate McCann ao longo de toda a obra fiquei bastante ressentida com os meios de comunicação que ao invés de quererem ajudar uma menininha a voltar para o conforto e segurança de seu lar, bombardearam sua família com as mais vis acusações e se desviaram de seu propósito inicial: procurar Madeleine. 



"Kate McCann, a arguida; a mãe de Madeleine, a arguida. Publicamente suspeita de matar sua preciosa filha ou pelo menos se livrar de seu corpo. Só de pensar nisso me dava vontade de vomitar. O mundo não era apenas cruel, era louco. Aquele cenário seria considerado irreal até como trama de filme, sem dúvida. Eu estava queimando com a injustiça de tudo aquilo e meu coração doía ainda mais por minha menininha." Página 262




Como já mencionei este livro foi bastante difícil para mim porque sempre me colocava no lugar deles e me fazia a pergunta: o que eu faria se fosse comigo? Meus irmãos? Minha mãe sempre conta que quando éramos pequenos, no caso eu tinha 4, meu irmão do meio 2 e o caçula tinha acabado de nascer, estávamos em um mercado e minha mãe descuidou do meu irmão de dois anos por segundos e ele sumiu. Acabamos encontrando ele com uma mulher que estava saindo do mercado levando meu irmão, é óbvio que minha mãe correu e recuperou ele, e a senhora falou que iria levá-lo para algum policial. Mas fica a questão, quem sabe se ela não iria sequestrá-lo? Procuro sempre levar a vida e confiar que existe algo de bom nas pessoas, mas confesso que as estimativas que Kate McCann deixou expostas no livro a respeito do sequestro e abuso infantil são desesperadoras.

De qualquer forma, sempre me senti ligada com este caso e pretendo acompanhá-lo até que seja solucionado, outros casos como o de Elizabeth Smart, Natascha Kampusch e o da Jaycee Lee Dugard estão aí para mostrar que tudo é possível. Recordo de uma passagem do livro Madeleine em que a mãe da garotinha diz que não importa os horrores que ela estava passando em cativeiro, uma vez que ela estivesse em casa tudo seria melhor e eles iriam superar juntos tudo o que aconteceu de ruim. 

Madeleine, o livro, foi bastante importante para ver o outro lado da situação, enxergar tudo pelos olhos de Kate McCann. O livro é bastante emocionante e em algumas citações acabei chorando bastante - como aconteceu quando li Gone, baby, gone  que é uma obra sobre um sequestro com muitas semelhanças com o caso de Madeleine - se você conhece a história do sequestro de Madeleine e se até não conhece, mas tem vontade de ler um pouco mais sobre o assunto, este livro é indicado porque apresenta uma visão do núcleo mais atingido com este fato: a família de Madeleine. 



"Amelie tem personalidade forte, mas é tão sensível e 'ligada'... Ela sempre fala do quanto gosta de você, Madeleine, 'minha irmã', e o que ela possui e vai te dar quando você voltar. Hoje, eu também a ouvi orando por você" Página 315



Postagens relacionadas: 

15 comentários:

  1. Ai, Rafa, assim que vi este livro na livraria, fui dar uma olhada, pq tb me chama muito atenção o caso e tento acompanhar.
    Agora que sou mãe, fico ainda mais sensível com isso.

    Eu li bem a parte em que ela narra o "desaparecimento", que ela vai no quarto e a janela está aberta e talz... Nossa, chorei só de ler esta parte!

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ceile, eu acabei comprando este livro porque desde que foi lançado eu tinha uma vontade enorme de fazer meu TCC sobre o caso. Sempre que posso, desde 2007, faço trabalhos com o caso da Madeleine como forma de mostrar aos que assistem as apresentações o quanto é importante deixar seus filhos e irmãos em segurança. Ainda não sou mãe, mas entendo o seu sentimento sobre o assunto. Sempre que vejo notícias assim envolvendo crianças fico com um aperto no coração.

      Eu acabei chorando nas partes em que a Kate menciona os gêmeos e, principalmente, quando ela diz que o quarto da Madeleine está como ela deixou, apesar de os gêmeos sempre colocarem desenhos e brinquedos lá para que ela veja quando voltar.

      Excluir
  2. Acho que não teria coragem de ler esse livro por se tratar de um caso verídico.

    http://enfimshakespeare.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acabei lendo justamente por este motivo, mas se tiver a oportunidade leia para conhecer melhor a história. Acredito que será bem importante, afinal, mostra o que acontece todos os dias.

      Excluir
  3. Acho que a história deve ser triste demais, não estou querendo ler livros que sejam tristes nesse momento, mas deve ser um história bem tocante.
    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente é bem triste, mas eu recomendo a leitura. O livro mostra tudo o que os pais da Madeleine passaram desde o seu desaparecimento em 2007.

      Excluir
  4. Ah ja ouvi falar desse caso (fantastico ou o programa da rede record) realmente é um caso triste mas nunca soube que havia um livro a respeito disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jéssica,

      Existem alguns livros sobre o caso da Madeleine, este foi escrito pela mãe dela como forma de limpar o nome da família e não deixar que as pessoas esqueçam da Madeleine e parem de procurar por ela.

      Excluir
  5. Sua resenha e os trechos que você sentiu foram no mínimo, arrepiantes, Rafa.
    Me emocionei de verdade com suas palavras, e fico imaginando a dor da família, que além de estarem desesperados para encontrarem a filha, ainda são acusados pela "morte" dela.
    O mundo é injusto.
    Fiquei com vontade muita vontade de ler esse livro.
    Beijos,

    Gustavo Valim
    Jantando Livros
    http://jantandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu imagino a tensão que não foi esta leitura. Eu com certeza me desmancharia em lágrimas. Sempre tive medo que levassem meus filhos, na verdade tenho pânico que algo parecido aconteça. Quando alguém que amamos desaparece, é uma dor que não tem fim nem solução, pois ficamos sem saber o que de fato ocorreu e como esta pessoa está. Quando uma pessoa morre, sofremos, mas sabemos o que aconteceu. Torço para que o caso desta menina, assim como milhares existentes por aí se resolva da melhor forma possível.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  7. Sempre achei que os pais eram inocentes.. É uma história realmente triste. E o pior de tudo é que as autoridades pararam de procurá-la.
    Acho que não conseguiria ler esse livro.
    Beijos, Aline
    http://24diasdeprimavera.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. amei seu blog, seguindo ele, segue o meu (emydeoliveira.blogspot.com.br) bjos

    ResponderExcluir
  9. Muito triste a história mesmo, mas não me arriscaria a ler o livro. Iria ficar mais sensibilizada. :(

    ResponderExcluir
  10. É realmente não podemos ter certeza de nada, há várias possibilidades do que pode ter acontecido com essa criança, mas isso não muda o fato de que nos sentimos impotentes em relação a tudo de mau que acontece por aí.Adorei a resenha

    ResponderExcluir
  11. É difícil conseguir entender o que realmente aconteceu nesse caso, mas é interessante ver todos os lados da história para poder ter uma opinião formada a respeito. Levar em consideração o que a mídia disse sobre o caso, mas, ao mesmo tempo, saber o que os pais da Madeleine têm a dizer. Deve ser angustiante perder um filho, sem saber o que aconteceu.

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!