Resenha: Mindhunter - John Douglas e Mark Olshaker

Editora: Intrínseca
Ano: 2017
Páginas: 384
Tradutor: Lucas Peterson

Em detalhes assustadores, Mindhunter mostra os bastidores de alguns dos casos mais terríveis, fascinantes e desafiadores do FBI.

Durante as mais de duas décadas em que atuou no FBI, o agente especial John Douglas tornou-se uma figura lendária. Em uma época em que a expressão serial killer, assassino em série, nem existia, Douglas foi um oficial exemplar na aplicação da lei e na perseguição aos mais conhecidos e sádicos homicidas de nosso tempo. Como Jack Crawford em O Silêncio dos Inocentes, Douglas confrontou, entrevistou e estudou dezenas de serial killers e assassinos, incluindo Charles Manson, Ted Bundy e Ed Gein.

Com uma habilidade fantástica de se colocar no lugar tanto da vítima quando no do criminoso, Douglas analisa cada cena de crime, revivendo as ações de um e de outro, definindo seus perfis, descrevendo seus hábitos e, sobretudo, prevendo seus próximos passos.

Com a força de um thriller, ainda que terrivelmente verdadeiro, Mindhunter: o primeiro caçador de serial killers americano é um fascinante relato da vida de um agente especial do FBI e da mente dos mais perturbados assassinos em série que ele perseguiu. A história de Douglas serviu de inspiração para a série homônima da Netflix, que conta com a direção de David Fincher (Garota Exemplar e Clube da Luta) e Jonathan Groff, Holt McCallany e Anna Torv.


Classificação:      


"Manipulação. Dominação. Controle. Essas são as três palavras às quais devemos prestar atenção quando estamos lidando com criminosos em série violentos. Tudo o que eles fazem e pensam tem por objetivo ajudá-los a preencher suas vidas desajustadas." Páginas 112


Mindhunter: O primeiro caçador de serial killers americano foi lançado pela Intrínseca em setembro de 2017, porém como nesse mês haviam outros livros que desejava mais, fiz a solicitação da obra apenas em dezembro. Como vocês já devem ter percebido, gosto bastante da temática policial e há um grande número de resenhas de obras deste gênero, caso queiram dar uma olhada no blog, e o que faz com que Mindhunter seja um livro diferenciado é que ele é totalmente baseado em fatos reais. O autor, John Douglas, foi o fundador da Unidade de Apoio Investigativo do FBI, tem mais de 25 anos de trabalho nessa área e o livro aponta a diferença que ele fez nessa área cuja captura de criminosos violentos é a prioridade. 

Este é o segundo livro que tenho a oportunidade de ler sobre serial killers, o primeiro foi O livro completo sobre os Serial Killers e ambos mostram aos leitores alguns dos casos mais "famosos" como Ted Bundy, BTK e O filho de Sam. Porém, John Douglas apresenta ao leitor os crimes sob uma nova perspectiva já que ele faz questão de mostrar como segue sua linha investigativa que consiste em se colocar no lugar do assassino e da própria vítima. 

A cada capítulo o leitor entende um pouquinho mais sobre como funciona a mente dos serial killers, além de entender o caminho pelo qual John Douglas trilhou até chegar ao lugar em que está hoje e todo o seu legado. Desde pequeno Douglas era um excelente contador de histórias e isso acabou facilitando seu trabalho na identificação dos criminosos, já que eles seguem um padrão a cada crime. Como o autor apresenta os serial killers sempre utilizam um modus operandi e a cada crime deixam sua assinatura, em alguns casos é evidente, em outros há uma demora a identificar os crimes como sendo praticados por uma mesma pessoa.

Um dos casos abordados no livro que me deixou angustiada foi o de Shari Faye Smith, uma jovem loira e bonita que estava no último ano do ensino médio e desapareceu em frente de casa. Neste capítulo há uma carta na íntegra escrita pela garota para a família ao perceber que seria assassinada, e este caso foi solucionado por Douglas graças às suas habilidades de definir as características da pessoa que poderia ser o culpado além de um pouco de sorte, já que o papel enviado por Shari Faye continha algumas pistas sobre o caso. 


"A jornada para o interior da mente do criminoso violento ainda é algo a ser desbravado continuamente. Assassinos em série são, por definição, assassinos "bem-sucedidos", que aprendem com a própria existência. Precisamos apenas ter certeza de que estamos aprendendo mais rápido do que eles." Página 147


Este é um livro para as pessoas que se interessam pela temática policial e não têm estômago fraco, já que o autor traz detalhes sobre os crimes e sua resolução. A leitura me lembrou bastante da série Criminal Minds, que segue este mesmo caminho de capturar os criminosos de acordo com o que eles pensam, o padrão que seguem a cada ocorrência e ao contrário da maioria das séries policiais como, por exemplo, CSI que investiga mais a parte material e de perícia, Mindhunter aborda a parte psicológica e de comportamento destes criminosos. 

A edição do livro está ótima, os capítulos são divididos por casos e alguns acabam se relacionando, mas o autor sabe explicar bem aos leitores e sem deixar pontas soltas. A capa está bem chamativa e da primeira vez que a vi fiquei angustiada porque realmente parece ser sangue, além da logo da editora estar no mesmo padrão. A diagramação é simples e a revisão está ótima, o que contribui para uma leitura fluida. Este é, sem dúvidas, o melhor livro que li sobre o tema e estou ansiosa para ver a série homônima lançada em 2017 pela Netflix. 


"Que tipo de pessoa poderia ter feito algo assim?

Por mais que a resposta para essa pergunta possa ser dolorosa, é exatamente isso que estamos aqui para descobrir." Página 290


5 comentários:

  1. Rafa!
    Confesso que vi tanta propaganda do livro da série e também tive a impressão que era uma série policial com a participação do John Douglas e não uma biogradia sobre a vida dele. Não que não goste de biografias, até gosto, mas achei que seria algo diferente.
    Como ganhei a Netflix das filhotas, vou ver se assisto a série primeiro e se gostar, leio o livro depois.
    Mas pelo jeito, ainda assim o livro foi bom na sua opinião, né? Vamos ver…
    Desejo uma semana mais que abençoada e Novo Ano repleto de realizações!!
    “Chega de velhas desculpas e velhas atitudes! Que o ano novo traga vida nova, como o rio que sai lavando e levando tudo por onde passa.” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Eu estou super curiosa pra ler esse livro, sou estudante de Psicologia e adoro estudar sobre serial killers, o funcionamento deturpado da mente dessas pessoas. A série de TV é maravilhosa e estou super curiosa pra ler o livro.

    ResponderExcluir
  3. Oi Raffa, tudo bem?
    Eu comecei a assistir a série e estava gostando bastante, então parei para poder ler o livro e me surpreender a primeira vez com a leitura. Eu adoro essa temática, e me interessei principalmente por abordar esse lado psicológico dos serial killers. Que bom que curtiu a leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Acabei de ver um tt sobre esse livro... tipo, na hora achei meio estranho adoraaaar serial killers e tal, mas lendo a resenha acho que entendi melhor esse tt.

    Eu até curto saber sobre esse tipo de coisa, mas mais por precaução mesmo. Tanto que li já o mentes perigosas da Ana Beatriz Barbosa e tal

    Não tenho tanta certeza que quero esse livro na minha estante, mas vai que com o tempo o receio passe
    o/

    parabéns pela resenha.

    Bj e até

    ResponderExcluir
  5. Ganhei esse vamos sorteio e apesar de não ter chego eu tô cheio de esperança em relação a ele porque aborda a mente de criminosos eu vi também que tem até uma série da Netflix desse livro então expectativas estão a mil

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!