Resenha: Crianças Índigo - Uma Nova Consciência Planetária

 Crianças Índigo
  Uma Nova Consciência Planetária
Autor:  Sylvie Simon
Assunto: Psicologia/Educação/Sociedades
Páginas:   168
Formato:  16x23 cm
Tipo de Capa:  Laminado Brilhante
                                  Compre

 
 Exemplar cedido pela Editora Madras para resenha e avaliação do   La Vie Est Ailleurs - Rafaella

Classificação:

 Para mais informações sobre o livro e sinopse acesse a postagem. 




    Sylvie Simon é uma autora de origem francesa, nascida em Narbonne no dia 26 de outubro de 1927. É bastante conhecida por suas pesquisas e obras sobre esoterismo e fenômenos paranormais, mas também sobre medicina alternativa. 

    Nesta obra a pesquisadora aborda sobre um tema que é visto como tabu pela sociedade moderna. Crianças Índigo existem? Serão essas crianças especiais a esperança do planeta? 

   Posso dizer que acredito em Crianças Índigo. Não conheço nenhuma, mas milagres acontecem então por que não acreditar nesses pequenos? Quando vi esse livro no catálogo da Madras ele me chamou a atenção. Minha mãe costuma assistir aquela novela da Globo que fala sobre crianças especiais, reencarnação e assuntos semelhantes e eu gostaria de saber mais sobre esses assuntos e posso afirmar que o livro atendeu minhas expectativas. 

    A obra é bem fundamentada e de linguagem acessível - contém termos técnicos, mas nada que prejudique o bom andamento da leitura - a diagramação do livro é excelente e em todos os capítulos a ilustração da capa aparece em menor tamanho na página inicial.
       O livro é dividido em três partes:

- As crianças não são mais o que costumavam ser.

Essa primeira parte nos mostra que alguns pesquisadores acreditam que as Índigo começaram aparecer após as explosões solares ocorridas no dia 13 de março de 1989, não que antes não existissem crianças especiais, mas após essa data essa nova característica das crianças está aparecento em maior número.
        
 " Essas crianças são cada vez mais numerosas, são encontradas em todos os países e em todas as civilizações, São chamadas "crianças Índigo", por causa da cor de sua aura descrita pelos videntes. Alguns as nomeiam também "crianças das estrelas", ou "crianças da luz", ou então "crianças do novo milênio" página 19

      Essa primeira parte foi a que mais me agradou. A autora seleciona temas como morte, escola e os pais e faz uma ligação entre as Índigo e as crianças consideradas normais. Além de comentar que com o passar do ano algumas crianças especiais vêm sendo tratadas como loucas e seus pais acabam ministrando antidepressivos e remédios psicotrópicos para acalmá-las, transformando-as em mini zumbis. 

       De acordo com Nancy Ann Tappe - parapsicóloga que se dedicou ao estudo do tema, existem quatro tipos de Crianças Índigo:

>>  humanista - sociável, adora ler e vive no imaginário.

>> conceitual -mais atraído por projetos do que por pessoas. É ágil, esportivo, manipulador, líder, entusiasmado por tecnologia.

>> artista - sensível, criativo, muitas vezes tem o dom de curar e de comunicar por telepatia.

>> interdimensional (tipo mais raro) não aceita conselhos porque pensa saber mais que os adultos, detesta limites, obrigações e qualquer tipo de autoridade. Desde pequeno fala sobre uma "missão" que precisa cumprir na Terra.

     E nessa parte nos deparamos com várias frases de crianças consideradas Índigo sobre os mais diversos temas. A que mais me chamou atenção e me deixou angustiada foi a seguinte:

[ "A morte é o descanso; quando você morre, pode olhar para trás e reorganizar tudo antes de continuar", explicava Anna aos 5 anos. "Estar morto faz parte da vida, e a vida, da morte." Anna perdeu a vida em uma queda acidental e deixou nossa Terra aos 7 anos ] Página 42

    A seguda parte intítulada O fim de um mundo foi a que eu mais encontrei dificuldade em ler.  Ela aborda sobre a manipulação midiática, a sobrevivência na Terra e a poluição no planeta. Assuntos que já são de conhecimento geral, mas a maioria faz questão de ignorar. Por serem assuntos que eu já estou cansada de ver na televisão, na escola e agora na faculdade eu acabei elegendo este como meu capítulo menos preferido. A autora faz um apanhado de teorias e nos mostra como os humanos, aos poucos, estão destruindo o seu planeta de todas as maneiras possíveis e nos aponta que essas crianças especiais podem ser a última esperança de salvação para a Terra. 

     Já a terceira parte Eis chegado o tempo dos mutantes foi bastante interessante. Eu adoro X-men e em todas as páginas eu conseguia fazer uma ligação com a estória, mas na obra eu conseguia ver que pode ser real. Pesquisas foram feitas com crianças que possuiam esses poderes e comprovaram a sua existência. De acordo com pesquisas as crianças Índigo podem ter o DNA diferente do resto das pessoas, essa mutação pode  assim lhes dar  resistência maior às doenças, como é no caso da AIDS.

      A China é um dos países que tem o número mais elevado de crianças superdotadas e a cada criança que desenvolve essas habilidades é enviada a uma escola especial aprimorar seu dom. Mas também apontam que uma criança considerada normal que tem convívio com crianças especiais, se torna capaz de realizar coisas surpreendentes. Contudo, cientistas Russos afirmam que em seu país existem também crianças com as mesmas habilidades dos pequenos chineses.

       Os dois últimos capítulos finalizam a leitura de forma impecável. A autora usa  a teoria do fim de um mundo e mostra sua visão sobre o assunto e o papel que as Crianças Índigo irão desempenhar nesse acontecimento. O livro é recomendadíssimo, mas já aviso que o leitor precisa ter a mente aberta se quiser apreciar a leitura ao máximo.

"Essa chegada maciça de crianças diferentes e conscientes deveria, portanto, acelerar o processo de despertar da humanidade, mas, para isso, devemos agir de modo a compreendê-las melhor e, muitas vezes, considerá-las guias e não como alunos." Página 159

15 comentários:

  1. Oi, Rafaella!
    O tema parece ser bem interessante, mas não faz o meu estilo. Para quem quer saber mais sobre o assunto parece ser uma boa pedida.

    Beijos,
    Bianca - www.epilogosefinais.co.cc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bianca.

      Realmente é um livro que a pessoa precisa gostar do tema e querer conhecer mais. Dei a dica porque é um tema que eu gosto de ler.

      Beijos

      Excluir
  2. olá rafaela, obrigado por comentar no meu blog:D
    Entao, comprei essa coleção da cidade dos ossos por 35,90 no Submarino, não sei se ainda ta esse valor, os livros são lindos e valeu muito a pena. O descoberta das Bruxas to gostando d+, é realmente bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa. Que barato. Vou dar uma olhada lá, quem sabe ainda está esse preço.
      Eu queria ler A descoberta das bruxas e li resenhas falando muito bem do livro =)
      Beijos.

      Excluir
  3. Oi Rafaella, amei o livro, gosto muito do tema.
    Não que faça diferença, mas sou kardecista e falamos sobre esse assunto, estudamos e gostei muito do livro, já vou compra-lo. Seu blog é muito bacana, viu.
    Beijooos!

    Meus livros, meu mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou. Eu adorei a leitura, e me ajudou muito a entender melhor sobre o tema.
      Na verdade eu sou Católica e acredito nisso, vai saber rs.
      Muito obrigada pelo elogio, fico feliz que tenha gostado da dica e do blog.
      Beijos.

      Excluir
  4. Eu até acho o tema interessante, mas não acho que leria um livro inteiro sobre isso.

    Beijos,

    Carissa
    http://artearoundtheworld.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, ah que pena.

      Mas quando decidir ler algo sobre Crianças Índigo, esse livro está mais do que recomendado.

      Beijos.

      Excluir
  5. A resenha ficou muito boa e interessante
    Mas infelizmente esse não é o tipo de livro que gosto

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada.

      Ah, cada um tem um estilo rs. Mas fico feliz que a resenha tenha ficado boa. E obrigada por comentar.

      Beijos.

      Excluir
  6. Rafa, adorei a resenha, mas principalmente o tema que é tão diferente do que abordamos em blogs de leitura como o nosso! adoro esse assunto e vou procurar o livro para comprar! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro fazer resenhas de livros que não são muito comentados em blogs literários.
      Ah, que bom que você gosta. Eu adoro esse tema também.
      E muito obrigada, volte sempre Alê!

      Excluir
  7. Vou adquirir mais este livro, já tenho outros sobre crianças indigo e tenho que analisar todos pois sou pai de uma criança indigo e a sociedade não entende o chamado dela, é a missionarinha alani. saiba mais em www.missionarinhaalani.com.br

    ResponderExcluir
  8. Vou adquirir mais este livro, já tenho outros sobre crianças indigo e tenho que analisar todos pois sou pai de uma criança indigo e a sociedade não entende o chamado dela, é a missionarinha alani. saiba mais em www.missionarinhaalani.com.br

    ResponderExcluir
  9. eu já li esse livro, super recomendo! *---------------*

    @esteffanifontes, do blog Aos Dezesseis Anos
    aosdezesseisanos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!