Resenha: Uma noite sem fim - Antônio Demarchi, José Florêncio

Editora: Petit editora
Ano: 2013
Páginas: 392

Compre


Perdido na escuridão, ele se sente mergulhado em terrível pesadelo. Perseguidores implacáveis o ameaçam: suas forças se esgotam, não sabe até quando conseguirá escapar. Aos gritos, implora por socorro, mas não recebe nenhuma ajuda. Cansado e humilhado, lágrimas derramam-se de sua face marcada pela aflição... Afinal, o que está acontecendo?


Classificação:     




"Ninguém me via nem me ouvia. Encontrei minha mãe e minha filha e, pela primeira vez, me senti comovido. Quando pensei em minha esposa, de repente me encontrei em frente ao prédio onde eu trabalhava. Mais uma vez, lá percebi que estava completamente invisível. Apenas meu companheiro Carlos que, sem perceber, me dava ouvidos. Tudo isso era muito estranho! - Muito estranho - repeti para mim mesmo." Página 45


Uma noite sem fim foi lançado em 2013 pela nossa parceira, Petit Editora. A obra nos mostra a história de Arnaldo, um homem que teve uma infância complicada por causa de seu problema de saúde. Desde pequeno passava mais tempo em médicos e em sua cama do que fazia outras coisas já que a bronquite não lhe dava trégua. 

Seu irmão mais velho, Felipe, tinha saúde perfeita e era adorado por todos e isso deixava Arnaldo mais irritado. Seus pais os tratavam com igualdade, mas em sua mente infantil ele sempre acreditou que era negligenciado por sua família. Sendo assim, desde pequeno nutria o desejo de sempre superar seu irmão. Com o tempo Arnaldo começou a melhorar e ambos foram estagiar na empresa da família, mas alguns acontecimentos mudaram o destino dos dois irmãos para sempre.

O livro é um romance do espírito José Florêncio e foi psicografado pelo médium Antonio Demarchi, então tenham em mente que é uma obra espírita e irá abordar muito sobre esta religião. O livro inicia nos mostrando a nova condição de Arnaldo, que acabou de desencarnar e está vivendo como um espírito. Ele continua indo aos locais que frequentava e percebe que consegue alcançar apenas Carlos, um dos diretores de sua empresa e um de seus amigos de confiança. 

Agora, Lívia está no comando da empresa devido a morte recente de seu marido, e a organização está passando por problemas financeiros, uma auditoria é marcada e muito se tem para descobrir. A leitura me surpreendeu e agradou do início ao fim, pois ao contrário de muitas obras que já li, nesta é o protagonista que está em forma de espírito e tenta controlar a vida daqueles com que convivia.


"Carlos fez um ar de mistério encarando meu desafeto. O ódio me dava forças e me mantinha como que magnetizado ao corpo de Carlos. Sentia naquele momento que éramos um só em pensamento. Estávamos unidos em ódio, raiva, rancor e no mesmo ideal de destruição. E era Gervásio que queríamos destruir." Página 117


Uma noite sem fim é uma obra narrada em primeira pessoa, por Arnaldo, que em sua condição de espírito poderia estar em qualquer lugar que quisesse. É interessante ver quando ele percebeu que todo o seu dinheiro e poder cultivados durante sua vida não tinham qualquer valor depois de sua morte, não podendo conquistar nada no mundo espiritual com isso. O personagem, apesar de inteligente, é um tanto imaturo e por muitas vezes me irritou com o papo de "eu sou rico, eu mando em quem eu quiser", mas os personagens secundários me conquistaram. Felipe, o irmão mais velho do protagonista, é um rapaz que - ao contrário do irmão - tem um coração bom e procura sempre ajudar os outros, este foi meu personagem favorito. 

O livro é diferente de todas as obras espíritas que já tive a oportunidade de ler e me conquistou logo no início. A obra conta com alguns problemas de revisão, mas nada que tenha me deixado desanimada com a leitura. Os personagens foram bem construídos e nos mostraram como as pessoas podem ser mesquinhas e altamente influenciadas para fazer o mal para seus semelhantes em troca de poder ou dinheiro. A capa de Uma noite sem fim é bonita e a arte utilizada entre a troca dos capítulos (que já é de praxe nas obras da editora) me deixou encantada. Sem dúvidas é uma obra recomendada para aqueles que, assim como eu, gostam de uma boa história e não têm medo de se arriscar em assuntos diferentes do que estamos acostumados a ler.


"Eu ouvia aquelas palavras que marcaram minha infância e ficaram guardadas no fundo e no silêncio de minha alma. Enquanto minha rotina era perambular pelos ambulatórios médicos, vivendo sob o efeito de medicamentos e sofrendo as limitações de uma doença implacável, meu irmão era feliz, gozava de saúde e tinha plena vitalidade, que permitia todos os folguedos que a mim eram negados em minha infeliz infância." Página 145

7 comentários:

  1. Só por ser um livro que envolve espiritismo, já me agradaria em ler, porque é uma religião que eu acho muito interessante; e o livro parece ser muito bom, ainda mais pelo fato da história ser contada pelo espírito, o que é um diferencial.

    ResponderExcluir
  2. Fiquei interessada pelo livro na sinopse,apesar de nunca ter lido um livro espirita inteiro(tentei ler uma vez e acabei abandonando a leitura).Gostei da resenha e acho que vou dar um nova chance ao gênero,adotei a capa e fiquei curiosa pra ver a arte que separa os capítulos.

    ResponderExcluir
  3. Confesso que nunca li livros sobre espiritismo, mas este talvez seria o primeiro que eu me arriscaria. A sinopse é curta, e quem lê quer saber mais, e mais. E a sua resenha foi bem reveladora... gostei muito.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Rafa!
    Como espírita sei que a leitura de livros psicografados trazem sempre ensinamentos profundos e devemos analisá-los cuidadosamente e trazer esse ensinamento para nossa própria vida.
    Dinheiro é bom, não resta dúvida, para nos trazer conforto e para que possamos auiliar os mais necessitados, espiritualmente não pode ser levado, mas os benefícios que fazemos a outrens com ele na terra, nos engrandece espiritualmente.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Eu nunca li livros sobre espiritismo... A ideia do livro é legal, só que achei a sinopse bem ruim... Não me da nenhuma ideia do que esperar... Se não fosse pela sua resenha nem iria saber sobre o que o livro aborda... Confesso que ainda não senti vontade de ler o livro, mas entendo porque você gostou, parece ser uma história bonita, mas prefiro romances rsrsrs
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi, Rafa. Faz um tempinho que não leio romances espíritas, sempre com lições que podemos prender sem precisar passar pelas dores. Sábio é aquele que aprende com a dor alheia, de dificuldades este mundo está cheio. Sou espírita e sei que os livros são lidos por praticantes e simpatizantes da doutrina, mas acho que a abordagem de valores morais é de grande valia para todas as religiões. E é nisso que os livros psicografados insistem: que observemos nossos erros, atitudes e pensamentos. vida continua do outro lado, só que a percepção é muito ampliada e a culpa costuma ser um inimigo atroz para os não vigilantes.
    Bela dica!
    Beijo.
    As Meninas que Leem Livros

    ResponderExcluir
  7. Oi Rafa, a sinopse deste livro não me chamou a atenção e a sua resenha foi o que explicou, mas não surgiu a vontade de ler.
    Blog Querer de Livros!
    Beijo

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!