Resenha: O menino do pijama listrado - John Boyne

Ano: 2013
Páginas: 186
Tradutor: Augusto Pacheco Calil

Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz idéia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.

Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

Classificação:   

 "Bem, não são as pessoas no sentido em que entendemos do termo", prosseguiu o pai. "Mas você não deve se preocupar com elas agora. Elas não têm nada a ver com você. Não há nada em comum entre você e elas. Apenas adapte-se à nova casa e comporte-se bem, é tudo o que eu peço. Aceite a situação na qual você se encontra e tudo ficará muito mais fácil." - Página 52


O livro começa quando somos apresentados para Bruno, um menino de nove anos que tem três melhores amigos e adora fazer traquinagens na escola. Sua irmã é Um caso perdido e ele não gosta muito de Greta. Ao chegar em casa depois da escola Bruno encontra Maria arrumando suas malas e faz um escarcéu para saber o motivo, sua mãe diz que eles irão mudar por causa do trabalho de seu pai, pois O Fúria tem grandes planos para ele.

Sem mais explicações, a família parte para Haja-Vista, um local remoto e que as crianças precisam conviver com soldados entrando e saindo de casa todos os dias. Uma vez lá, Bruno não tem mais seus cinco andares de corrimão, como era em Berlim, mas sim uma humilde casa de três andares. De sua janela ele pode ver centenas de pessoas vestindo engraçados pijamas listrados e em uma de suas explorações encontra um menino no limite da cerca entre as duas propriedades.

Schmuel e Bruno começam a conversar e encontram várias semelhanças entre si, então uma amizade nasce e ambos começam a crescer e entender um pouco mais sobre como é a realidade do outro.


"Somos como gêmeos", disse Bruno.
"É, um pouco", concordou Shmuel.
Bruno sentiu-se muito feliz de repente. Na sua cabeça apareceu uma imagem de Karl e Daniel e Martin, seus três melhores amigos, e ele se lembrou de como costumavam se divertir juntos em Berlim e percebeu como estivera solitário em Haja-Vista. - Página 99

O menino do pijama listrado é uma obra cativante, contada do ponto de vista de um menino de nove anos que não sabe nada sobre o Holocausto e todo o terror desta época. Sua maior preocupação era a de que não poderia chover, pois se caísse uma tempestade não poderia ir conversar com seu único amigo. 

O livro é bonitinho, não digo que é um dos melhores, pois já li muitos livros sobre esta temática e com certeza existem melhores, mas a forma com a qual o autor narrou as aventuras de Bruno e a amizade dos meninos me deixou emocionada. Não, não chorei nem nada parecido, mas mesmo assim o livro me agradou. Pretendo ver o filme em breve para ter a leitura ainda fresca e espero me emocionar mais do que na leitura. A capa é muito bonita e está em alto-relevo e conservei as citações como no livro, confesso que não estou acostumada a ler obras com esse formato, mas gostei da experiência. 


Bruno recostou-se, surpreso. "Tenho certeza de que não odeiam vocês", disse ele.
"Odeiam sim", disse Schmuel, inclinando-se para a frente, os olhos mais estreitos e os lábios levemente retorcidos pela raiva. "Mas tudo bem, porque eu odeio eles também. Eu odeio todos eles", repetiu ele, convicto. - Página 170

9 comentários:

  1. Eu já li esse livro e concordo com você, não é um dos melhores livros sobre a temática, mas é um livro bonito, que cativa o leitor pelo fato de, além da guerra, também abordar a questão da amizade.

    ResponderExcluir
  2. Olá Rafa!
    Esse livro está na lista de '' Abandonei''.
    Não sei porque, mas no momento que eu estava lendo, achei a leitura chata. Nem sempre quando isso acontece é por causa do livro, e sim por causa de mim mesma que no momento não estava em um momento bom para lê-lo. Vou tentar em breve retomar esta leitura, porque eu amo livros sobre o holocausto.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Rafa!
    Ás vezes eu gosto de livros com crianças como protagonista, ás vezes não gosto. Esse enredo é daqueles que você tem que ler com bastante calma. Tem o filme também, que por sinal ainda não assistir. Acho que se eu gostar muito do filme eu compro o livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Rafa, querida, só por ser um livro de Boyne já me interesso por ele. Adquiri-o recentemente e estou louca pra ler. Especialmente porque é narrado por uma criança e tudo pelo olhar inocente fica mais bonito e simples.
    Sei que vou me emocionar, Boyne faz isso muito bem em seus livros.
    Quando ler volto aqui para contar o que achei.
    Beijo!

    Fiz uma nova resenha e adorarei saber sua opiniao:
    Ler para divertir

    ResponderExcluir
  5. Eu não costumava ler histórias sobre a Guerra, mas depois de O Cavaleiro de Bronze resolvi me arriscar mais. Esse é um livro que pretendo ter e ler em breve, principalmente porque gosto quando a narração é feita por crianças, a gente tem a oportunidade de enxergar com novos olhos, mais inocentes.
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  6. Rafaella!
    Gosto muito de livros ambientados durante a Guerra porque podemos conhecer uma época que foi catastrófica e não tivemos oportunidade de vivenciar.
    Saber uma visão sobre o Holocausto por uma criança de 9 anos deve ser interessante.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Rafa, amei os quotes que você colocou! O Menino do Pijama Listrado foi um dos primeiros livros que li sobre o Holocausto, porque na época eu estava começando a tentar criar coragem para ler algo que tratasse da Segunda Guerra e o que aconteceu naquele tempo. Parabéns pela resenha, acho que transmitiu muito mais emoção do que a que você sentiu lendo o livro. ;') Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Eu não cheguei a ler o livro,apenas vi o filme que minha professora de historia me aconselhou.
    O fato de já te-lo visto não me deixa muito interessada na obra,apesar de ser uma historia realmente comovente.

    ResponderExcluir
  9. Já li inúmeras críticas em relação a esse livro e ao autor, e incrivelmente foram sempre críticas positivas, citando como ele conseguiu passar uma mensagem bonita em um livro aparentemente tão simples. O mais incrível é o fato de ter sido escrito em apenas 2 dias!!!
    Tem o filme tbm que dizem que é muito bom! Estou louca para ler e depois assistir o filme!
    Bjs

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!