Resenha: A Loba Vermelha - Liza Marklund

Ano: 2014
Páginas: 476
Tradutor: Roberto Muggiati

Um jornalista é atropelado no cenário congelante de uma cidadezinha ao norte da Suécia. Enquanto isso, Annika Bengtzon, repórter de um tabloide de Estocolmo, planeja escrever uma série de artigos sobre um ataque terrorista ocorrido há mais de trinta anos contra uma base aérea próxima daquele lugar remoto. Ela pretendia entrevistar o repórter, e agora desconfia de que sua morte tenha alguma relação com o atentado. Indo contra ordens explícitas de seu chefe, Annika começa a investigar o caso, que logo é sucedido por uma série de assassinatos chocantes.

Classificação:    



"Não havia limites em seu trabalho, pensou ele. Ela não possuía nenhum instinto de autopreservação. Colocava-se em todo tipo de situação, coisas que pessoas normais nunca sonhariam em fazer, pois existia uma lacuna ali. Algo se perdera muito tempo atrás, havia sido arrancado, com raízes e tudo, e a cicatriz foi sumindo ao longo dos anos, deixando-a exposta ao mundo e a si mesma. Tudo o que lhe restara fora seu senso de justiça: a verdade atuando como um farol numa mente tomada pela escuridão. Não há mais nada que ela possa fazer." Páginas 20 e 21



Annika Bengtzon era chefe de uma das editorias de um jornal em Estocolmo, porém após um grande trauma acabou deixando o posto e voltando a ser apenas repórter do jornal. Ao se deparar com o aniversário do ataque ocorrido na base aérea F21 em Luleå, a repórter acredita que seria interessante investigar mais sobre o que aconteceu e quem foi o responsável por isso. Até então, o ataque foi atribuído a um grupo terrorista liderado por Ragnwald e partindo dessas informações Annika começou a investigar mais sobre o ocorrido. 

Sua primeira fonte era o repórter Benny Ekland, mas ao chegar em seu jornal descobriu que ele havia sido assassinado. Uma série de outros crimes, ligados ao de Benny, começaram a acontecer e Annika não deixou de investigar o caso. Muitos segredos são descobertos e, por incrível que pareça, até a melhor amiga de Annika, Sophie, é uma das envolvidas nesse rolo compressor. Se você está preparado para acompanhar a investigação de uma das melhores repórteres que existe, A Loba Vermelha é um livro essencial. 


"Annika levantou-se, surpresa de que não tivesse desmoronado completamente, agarrou seu caderno de anotações com mãos que lhe pareciam alheias e partiu na direção da porta no final de um longo túnel. Tateou o seu caminho através dele." Página 259


O início do livro não me chamou muito a atenção, pois não gostei da protagonista de primeira. É um tanto difícil acompanhar os pensamentos de Annika no início da obra porque é tudo muito novo e leva um tempo até você se acostumar com a repórter, mas chega um ponto que você não consegue parar de ler. 

A história é viciante e a autora, Liza Marklund, consegue prender a atenção do leitor até as últimas páginas. Vi que existem mais livros que são protagonizados por Annika e fiquei interessada em conferi-los, mas no Brasil (acredito) que esse seja o primeiro a ser lançado. 

Comecei a leitura na versão de prova e quando estava próxima da metade, o original chegou e isso me ajudou a avaliar a capa que tenho que dizer: é muito linda. A diagramação segue o padrão da editora e é de fácil leitura. O livro apresentou alguns probleminhas de revisão (no caso, algumas falas de personagens estavam sem travessão), mas nada que você fique angustiado durante a leitura. O livro é super indicado para aqueles que gostam de um livro policial, com muita investigação, crimes e emoção. 


"Tivera que conviver com os erros da juventude por toda sua vida. Nem um dia se passara sem que sua paz de espírito fosse perturbada pela lembrança das consequências de seus atos. Durante longos períodos o impacto foi pequeno, superficial; vida e trabalho serviram como um curativo para seu sentimento de culpa. Em outros dias, porém, mal conseguia se levantar da cama paralisada pela ira contra sua própria inadequação." Páginas 307 e 308

3 comentários:

  1. Uma das minhas autoras favoritas é a Agatha Christie, foi por causa dela que eu comecei a me interessar por livros policiais e é um gênero que me agrada muito. E esse livro parece ser muito bom, só pela sinopse eu já me interessei e lendo sua resenha, fiquei ainda mais interessada, porque adoro livros assim, com crimes e mistérios, que fazem o leitor querer investigar junto com o que está acontecendo.

    ResponderExcluir
  2. Nunca ouvi falar do livro, mas me pareceu ser bem legal hehe
    Venha visitar o Doce Literário <3
    www.doceliterario.wordpress.com beijos

    ResponderExcluir
  3. Não sei bem por que, mas não costumo gostar de livros que tem investigação, até já me arrisquei com Agatha Christie, que parece ser bem diferente do gênero em questão, já que esse se mostra mais tenso, mas mesmo assim não me senti atraída. Não sei muito bem o que dizer, talvez se eu pegasse o livro para ler algum dia até acabasse gostando, no entanto não me sinto atraída por ele no momento. Já percebi que a Bertrand faz muito seu estilo de leitura né Rafa? Sempre livros mais tensos e cheios de informação, adoro vir aqui pq é aqui que conheço livros que nem imaginava que existissem, mesmo que eu não goste deles no final kkk. Bjooo

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!