Resenha: Sevenwaters #1 - Filha da Floresta - Juliet Marillier

Editora: Butterfly

Ano: 2012
Páginas: 608
Tradutor: Yma Vick


O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos... Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.



Classificação:      



"Você vai descobrir, filha da floresta. Através de dor e sofrimento, de grandes obstáculos, de traição e perda, você seguirá seu caminho." Página 78



Sorcha é a sétima filha de um sétimo filho, o que significa que para seu pai ter herdado as terras de Sevenwaters todos os seus irmãos mais velhos deveriam ter morrido e o mesmo deverá acontecer para a jovem ter o poder, não que ela almeje a posição já que desde pequena sua família é tudo para a garota. Sua mãe morreu quando deu a luz a sua última filha e desde então seus irmãos cuidam dela, pois seu pai sempre sai em batalhas para proteger suas terras e conseguir ampliar seus limites. Na última campanha, Lorde Colum retorna com uma novidade, irá se casar com Lady Oonagh. Sorcha não aprovava o casamento, mas respeitava os desejos de seu pai e até tentou manter um boa convivência com a mulher, mas um confronto acabou definindo o futuro de Sorcha, seus irmãos e do povo de Sevenwaters.



"Baixa estatura, magra, pálida. Cabelos escuros, cacheados e presos para trás sem muita ordem. Nariz reto, lábios grossos, olhos verdes e desafiadores. O rosto não era sereno como o de Conor, ou pálido e intenso como o de Finbar. Era mais suave que o de Liam e mais fino que o de Padriac. E não tinha as covinhas que deixavam o sorriso de Cormack e Diarmid tão charmoso. Ainda assim, eu era a imagem de meus irmãos." Página 129



Lady Oonagh, na verdade é uma bruxa, e para se ver livre dos filhos de Lorde Colum transforma os homens em cisnes e Sorcha precisa fugir. O que a jovem não imaginava é que o prisioneiro, Simon, que ela e Finbar haviam ajudado a escapar se tornará uma das peças de maior importância deste grande quebra-cabeça. Ao contrário do que Sorcha pensava, ainda havia uma saída e seus irmãos poderiam voltar à forma humana quando ela finalizasse uma tarefa imposta pelos seres da floresta. A pequena Sorcha, que até então tinha apenas doze anos, precisaria tecer camisas com um material especial e manter-se em silêncio até o trabalho ser finalizado, então seus irmãos voltariam e tudo poderia ficar bem. Durante alguns anos a tarefa foi realizada sem maiores inconvenientes, mas um dia na mesma floresta que ela acreditava estar segura um atentado e faz ter medo de tudo. Em seu caminho diversas pessoas acabam passando, mas uma em especial faz com que Sorcha tenha segurança para finalizar a sua tarefa, um bretão conhecido como Red acaba se tornando protetor, o único problema é que ele e Sorcha têm bem mais ligações do que a simples segurança da adolescente. 



"Tudo se deu em dois estágios. O primeiro foi difícil de enfrentar, pelo menos para mim, mas nada se compara ao segundo. O primeiro foi maldade, pura maldade. Mas o segundo, foi assassinato." Página 393



Filha da Floresta acabou me surpreendendo em todos os sentidos. A capa foi bem trabalhada e nos mostra a personagem principal com a planta colhida para a salvação de seus seis irmãos. O livro é de tamanho considerável, mas a leitura é fluida e nada entediante. Demorei para ler porque não tenho muito tempo para dedicar aos livros, mas posso afirmar que apesar do pouco tempo a leitura foi bastante rápida. Sorcha, ao contrário do que você pode pensar, é uma garotinha determinada e que perde sua infância e adolescência para salvar seus irmãos e apesar de todas as tragédias que acontecem ela nunca pensa em desistir. A diagramação da obra é boa e torna a leitura menos cansativa, o livro é dividido em 16 capítulos e estou ansiosa para começar a ler o segundo volume, Filho das Sombras. Agradeço a Butterfly Editora por ter cedido um exemplar para a avaliação e só tenho a dizer aos leitores: Leiam, pois não irão se arrepender. 



"Estava decidida a reunir todas as minhas forças e refazer o trabalho destruído. No dia seguinte, iria colher estrela d'água para duas camisas inteiras. E trabalharia dia e noite, noite e dia até terminar minha tarefa. Nenhum inimigo me impediria. Eu era a filha da floresta, e mesmo que meus pés escorregassem do caminho de vez em quando, não deixava de seguir em frente. E talvez não estivesse sozinha, afinal." Página 402



2 comentários:

  1. Muito boa resenha.
    Tô querendo esse livro!!

    Seguindo!! :))

    Beijos,
    www.livrosqueinspiram.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Parece ser uma história interessante, e se faz parte de uma série, deve valer ainda mais a pena lê-lo.

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!