Resenha: O Homem de Giz - C. J. Tudor

Editora: Intrínseca
Ano: 2018
Páginas: 272
Tradutor: Alexandre Raposo

Assassinato e sinais misteriosos em uma trama para fãs de Stranger Things e Stephen King.

Em 1986, Eddie e os amigos passam a maior parte dos dias andando de bicicleta pela pacata vizinhança em busca de aventuras. Os desenhos a giz são seu código secreto: homenzinhos rabiscados no asfalto; mensagens que só eles entendem. Mas um desenho misterioso leva o grupo de crianças até um corpo desmembrado e espalhado em um bosque. Depois disso, nada mais é como antes.
Em 2016, Eddie se esforça para superar o passado, até que um dia ele e os amigos de infância recebem um mesmo aviso: o desenho de um homem de giz enforcado. Quando um dos amigos aparece morto, Eddie tem certeza de que precisa descobrir o que de fato aconteceu trinta anos atrás.
Alternando habilidosamente entre presente e passado, O Homem de Giz traz o melhor do suspense: personagens maravilhosamente construídos, mistérios de prender o fôlego e reviravoltas que vão impressionar até os leitores mais escaldados.


Classificação:      


"Há certas coisas na vida que se pode alterar - o peso, a aparência, até o próprio nome -, porém há outras que são imutáveis, independentemente da força de vontade, do esforço e do trabalho árduo. São estas coisas que nos moldam: não as que podemos mudar, mas as que não podemos." Página 46


O Homem de Giz é um thriller lançado em 2018 pela Editora Intrínseca e de autoria de C. J. Tudor. A obra conta a história de um grupo de garotos que costumavam ser bastante unidos, brincavam juntos todas as tardes e saiam em expedições pelo bosque em busca de aventuras. Porém depois de alguns traumas - um acidente no parque de diversões e o ataque de um dos irmãos mais velhos - os garotos acabam se separando um pouco. 

Um dia todos percebem homens de giz na porta de suas casas, forma com que os amigos se comunicavam, e todos vão até o bosque e encontram um corpo em meio às folhas. Eddie, o protagonista, conhece a garota morta e acaba bastante abalado com o que aconteceu. Os amigos se separam e agora, já adultos, voltam a se reencontrar porque todos haviam recebido um pacote com um homem de giz. 

Quando Mickey vai visitá-lo, avisa a Eddie que iria escrever um livros sobre o crime que vivenciaram por causa do aniversário da morte, pouco tempo depois o protagonista recebe a notícia de que Mickey estava morto e isso conecta a algo da infância de ambos. Então Eddie começa a investigar como os crimes estão relacionados e isso é algo que ele terá de fazer sozinho, já que todos podem ser culpados, até mesmo ele.  


"Minha vida foi definida pelas coisas que não fiz, pelas coisas que não disse. Acho que o mesmo acontece com várias pessoas. Nem sempre o que nos molda são as nossas realizações, e sim as nossas omissões. Não necessariamente as mentiras, apenas as verdades que não dizemos." Página 138



Já fiquei encantada com O Homem de Giz logo na capa e na sinopse, já que sou apaixonada por thrillers psicológicos e investigação policial. Eddie é um homem perturbado e todas as suas dúvidas são apresentadas ao leitor de forma franca, envolvendo-o na leitura e deixando-o desesperado para saber o que aconteceu e o interessante é que o desfecho é algo que nunca previ - e olhem que tenho um sexto sentido para isso e geralmente acerto o final dos livros -. O livro alterna capítulos entre passado e presente, dando ao leitor a oportunidade de conhecer melhor o protagonista ao mesmo tempo em que ele investiga o quê aconteceu em sua infância e marcou a sua vida. 

De fácil leitura, O Homem de Giz é um thriller fantástico e combinado com a edição o livro ficou fantástico. Capa dura, páginas pretas e elementos que retomam a capa no interior do livro tornam a edição ainda melhor. A diagramação é simples, a revisão está ótima , elementos que ajudam a tornar a leitura fluida e sem interrupções. Este é, sem dúvidas, um ótimo livro para aqueles que gostam de thrillers



"Como se viu, estávamos mesmo esperando. E quando a mão pálida da garota acenou de dentro  de um monte de folhas secas foi como se a cidade inteira soltasse um longo e estagnado suspiro. Porque havia acontecido. O pior finalmente chegara." Página 165



9 comentários:

  1. Oi, Rafaella!
    Gosto de thrillers psicológicos e investigação policial, mas confesso que faz um tempo que li algo nesse estilo... Em relação a O Homem de Giz, a capa não me chama a atenção mas a trama despertou o meu interesse, fiquei muito curiosa para desvendar o mistério que está por trás das mortes da garota que o Eddie e os amigos encontraram no bosque anos atrás e qual a relação com o assassinato do Mickey no presente... Valeu pela dica, já anotei na minha lista de leitura. Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Oi Rafaella,
    Já li vários thrillers e por gostar tanto do gênero que quero ler O Homem de Giz. O diferencial dessa obra, para mim, está no grupo de amigos e no fato da história correr entre passado e presente. Há uma parte bem perturbadora no que diz respeito a crianças encontrando um cadáver e os traumas que podem surgir a partir daí. O fato de ter tantos personagens aumenta a lista de suspeitos e faz com que o leitor desconfie de todos e não tenho dúvidas de que será essa minha reação ao realizar a leitura. A Intrínseca está de parabéns pela edição que ficou maravilhosa.

    ResponderExcluir
  3. Assim como você, também sou apaixonada por thrillers e livros policiais, então desde que li a sinopse desse livro, já me interessei! Além disso, já li tantas resenhas boas desse livro, que sei que vou amar! O melhor desse livro é que ele é intercalado entre passado e presente, o que acho bem interessante!

    ResponderExcluir
  4. Oi Rafa,
    Adoro thrillers e tinha ficado bem curiosa para ler O homem de giz.
    Adoro narrativas alternadas entre presente e passado. Acho que deixa a leitura bem dinâmica e podemos conhecer o que aconteceu antes para tentar entender como se chegou ao presente.
    É bom saber que o final é surpreendente. Gosto bastante quando não consigo descobrir quem é o culpado.
    Espero ter a oportunidade de ler o livro em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Rafa!
    Livro de suspense, mesmo que não seja excepcional, sempre traz uma boa leitura, ainda mais quando a autora intercala lembranças do passado com o presente, gosto muito disso, porque vamos encaixando as peças aos poucos.
    Uma ótima semana!
    “Moral é o que te faz sentir bem depois de tê-lo feito, e imoral o que te faz sentir mal.” (Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MAIO – 4 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  6. Eu tenho visto esse livro por aí mas nunca parei para ver do que se tratava, e vendo agora eu AMEI.
    Adoro quando juntam presente e passado, eu fico completamente envolvida.
    Adorei a resenha!

    beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Tenho um pouco de medo das leituras de terror mas por outro lado os suspenses me agradam muito e acho que esse livro se encaixa mais no suspense então o coloquei na minha lista. Quando eu vi a capa pela primeira vez não fazia ideia da história complexa que existia por trás, acho que o autor montou um enredo maravilhoso que prende demais o leito. Como parar uma pagina sem descobrir qual a ligação daquele crime do passado a morte do amigo ? super curiosa aqui.

    ResponderExcluir
  8. Ola!
    Adoro muito livro de suspense, que deixa o leitor aflito e curioso ao mesmo tempo. A trama desse livro me deixou muito curiosa, já tinha visto ele porém não busquei saber realmente a história que se tratava. Adorei bastante e espero conhecer em breve.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!