Por dentro da tela: O impossível

Título original: The Impossible
Distribuidor: PARIS FILMES
Ano de produção: 2012


O casal Maria (Naomi Watts) e Henry (Ewan McGregor) está aproveitando as férias de inverno na Tailândia junto com os três filhos pequenos. Mas na manhã de 26 de dezembro de 2004, enquanto curtiam aquele paraíso após uma linda noite de Natal, um tsunami de proporções devastadoras atinge o local, arrastando tudo o que encontra pela frente. Separados em dois grupos, a mãe e o filho mais velho vão enfrentar situações desesperadoras para se manterem vivos, enquanto em algum outro lugar, o pai e as duas crianças menores não têm a menor ideia se os outros dois estão vivos. É quando eles começam a viver uma trágica lição de vida, movida pela esperança do reencontro e misturando os mais diversos sentimentos.


                                                                    

Classificação:




Ao decidir assistir O impossível não achei que iria me emocionar tanto com um filme, em alguns casos sou bastante manteiga derretida, mas havia tempo que um filme não me fazia chorar tanto quanto esse. O que vejamos, foi vergonhoso, porque estava vendo com meu namorado e minha mãe e eles se acabando de rir do meu rosto vermelho e inchado. Mas vamos ao filme, tudo começa com um belo "Baseado em fatos reais" o que me deixou ressabiada logo que a produção iniciou. A família de Maria viajou para a Tailândia para aproveitar o Natal, as paisagens são lindas e os filhos pequenos do casal são uma graça a parte, mas já fiquei angustiada com a hora em que o tsunami acabaria com esse paraíso. No dia 26 de dezembro de 2004 o casal e os filhos estavam aproveitando o dia ensolarado na piscina e do nada, completamente do nada, uma onda devasta o local em que estavam hospedados. Os filhos e o marido de Maria pularam na piscina, minimizando a catástrofe, já ela foi atingida em cheio pela onda e foi arrastada por muito tempo. 

Algum tempo depois, tudo aparentando estar mais calmo, a mulher encontra seu filho mais velho, Lucas, e ao conseguirem sair do lodo que o tsunami os arrastou, buscam ajuda e lutam por sua sobrevivência. Em contrapartida, Henry encontra os filhos menores Thomas e Simon, e faz o impossível para encontrar sua mulher e o filho mais velho, sem perder as esperanças. O filme mostra a luta de todas as pessoas diante da adversidade e essa carga emocional, aliada às atuações e as cenas devastadoras fizeram com que me emocionasse do início ao fim do filme, cada vez que pensava que ia respirar fundo e parar de chorar uma nova cena levava embora essa certeza. Os protagonistas Naomi Watts e Ewan McGregor deram um show de atuação, assim como as crianças e o pequeno Daniel (me encantei por aquela criança), as cenas são arrebatadoras e apesar de ter chorado horrores não me arrependi em nenhum segundo sequer por ter escolhido a produção no catálogo da Netflix para assistir. 




1 comentários:

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!