Resenha: Lua de sangue - Nora Roberts

Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2002
Páginas: 546

Em 'Lua de Sangue', Nora Roberts conta a história de Tory Bodeen, uma mulher que foi massacrada no corpo e no espírito, mas que nunca perdeu a esperança. Tory foi criada numa casa pequena e miserável na Carolina do Sul, onde o pai dominava com punho de ferro e cinto de couro...e onde seus talentos não tinham espaço para florescer. Mas havia Hope, a amiga que sempre contava nas horas mais difíceis, que morava numa casa enorme, a pouca distância da sua. Porém Hope é brutalmente assassinada e a vida de Tory começa a desmoronar. Passados 18 anos, Tory retorna a sua cidade natal decidida a encontrar paz, mas viver tão próxima das lembranças infelizes será mais difícil e assustador do que ela poderia imaginar. Porque o assassino de Hope também está por perto...

Classificação:





" Ela vivia para aventuras. E quando me encontrava com ela, eu também. Com Hope, escapava dos tormentos e tumultos de minha casa, de minha vidam e me tornava sua parceira. Éramos espiãs, detetives, amazonas em busca da verdade, piratas ou saqueadoras do espaço. Éramos corajosas e honestas, intrépidas e impetuosas." Página 17

Em 2012 eu já havia feito uma postagem sobre este livro e o filme baseado na obra. Na postagem incluí a minha opinião e alguns trechos do livro, mas na semana passada estava procurando vídeos e acabei me deparando com um de Tormentos (nome da adaptação para as telonas) e fiquei morrendo de vontade de reler Lua de Sangue. Esta foi a minha segunda releitura do livro, que está de longe como a minha obra favorita. Conheci o livro (e a autora) por meio do filme, pois estava passando na HBO há muito tempo e me atraiu. Perdi as contas de quantas vezes já assisti a produção e logo trarei também uma postagem sobre ela, mas agora vou me ater ao livro. 

Victoria Bodeen é uma menina que sofre na pele com as loucuras de seu pai. A garota tem visões do passado e presente e o homem acredita que é o demônio se manifestando, então quando Tory dá sinais de que sabe mais do que deveria - ou Hannibal simplesmente quer castigá-la - ele a espanca, o que é aceito por sua mãe, Sarabeth, que não faz nada para protegê-la dos abusos de seu pai. A única pessoa que conhece o segredo, além de sua própria família, é Hope Lavelle. A dupla é inseparável, o que desagrada as duas famílias e, principalmente, Faith, a irmã gêmea de Hope. O pântano é o local favorito das garotas, mas em um dia tudo pode mudar. Hope e Tory haviam combinado de se encontrar, mas Tory foi espancada por seu pai e não conseguiu ir ao encontro. Hope, sozinha no local, é brutalmente assassinada e Tory assistiu tudo em uma de suas visões.  

Anos depois, Tory volta a Progress em busca de um novo lar e qual é o melhor lugar para encontrá-lo? A jovem acredita que voltar ao local em que tudo começou é a melhor saída. Longe dos abusos familiares, Tory acredita que está forte suficiente para voltar às suas origens. Em Progress, ainda moram Wade e seus pais - tios da jovem -, mas também a cidade pequena ainda é lar da família Lavelle. Margaret, mãe de Hope, não aceita bem a vinda de Tory para a cidade, assim como Faith que a culpa pela morte de sua irmã. O único que parece feliz com a volta da jovem é Kincade Lavelle, irmão mais velho das gêmeas, e o rapaz está interessado em bem mais do que a simples amizade. 


"- Pode-se mudar qualquer coisa que se queira mudar.
- Fui criada para ser decorativa e inútil. - Faith inclinou a cabeça para trás. Esticou-se como uma gata. - E sou boa nisso. 
- Você me irrita, Faith.
- Também sou boa nisso. - Achando graça, ela cutucou a perna de Cade com o pé descalço. - Não fique assim, Cade. Discutir vai estragar meu paladar para este vinho. Já tive uma discussão com a mamãe hoje.
- Não passa um dia que você não discuta com a mamãe." Página 71


Aos poucos, Cade consegue ir quebrando os muros que Tory ergueu e faz com que ela comece a desejá-lo também. Em um dos momentos em que estão juntos, Tory tem uma visão parecida a que teve quando Hope morria e então percebe que o assassino de sua melhor amiga continua matando. Matando garotas iguais a Hope, com as idades que ela teria no ano do assassinato - caso estivesse viva -. Quando uma jovem é assassinada em Progress, Victoria e Cade decidem deter o assassino e proteger a candidata ideal para o próximo crime, Faith.

Como vocês já devem ter percebido, a leitura não é fácil, mas Nora Roberts consegue fazer com que os leitores riam, se apaixonem, sofram e acompanhem a vida de todos os personagens da trama. E, quando parece que tudo está resolvido, Tory descobre que este é apenas o começo. O livro é dividido em capítulos não muito longos e dentro destes há a interação dos personagens em divisões distintas, por exemplo, há a narração em terceira pessoa de cenas que envolvem em dois locais diferentes com personagens diferentes, mas ao contrário do que você deve estar pensando, isto torna a leitura mais fluida e leve porque em uma das cenas o conteúdo é mais descontraído, o que não torna a obra monótona ou forte demais para que o leitor não aguente o drama. 

Já falei e repito, Lua de Sangue é o meu livro favorito, poderia ficar por horas descrevendo o quanto amo a leitura e os personagens (principalmente Cade e Faith, que me fazem chorar de rir com suas brigas), mas acho que não iria adiantar e vocês parariam de ler a resenha logo no início. O livro foi adaptado para as telas e o filme chama-se Tormentos, comecei a assistir porque vi que a Claire Forlani (uma das minhas atrizes favoritas) fazia a personagem Tory e não me aguentei enquanto não li a obra ( o que na época custou metade do meu salário, pois paguei 70 reais no livro), não me arrependo em nenhum momento por ter feito isso, pois a leitura é maravilhosa e compensou cada centavo investido. 



" Não dava para comemorar, pensou Tory, depois de registrar, arrumar tudo e trancar a loja. Se mal conseguia pensar, muito menos comemorar. Conseguira sobreviver ao dia. Mais do que isso, disse a si mesma, enquanto seguia em seu carro para casa, meio atordoada. Provara que tinha voltado para valer, para ficar, deixar sua marca." Página 269

Tory, Cade, Faith e Bee.






3 comentários:

  1. Eu nunca li nada da Nora, mas tenho muita curiosidade. Adorei a resenha e espero poder ler esse livro em breve.
    Bjooos

    http://www.booksonbook.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Rafaella :)
    Nossa, 70 reais? Eu nunca iria pagar tudo isso num único livro. Provavelmente pagaria nos livros da Anna Rice pq eles são muito caros mesmo.
    Não tinha ouvido falar desse livro da Nora, muito menos do filme. Mas foi uma feliz descoberta ver ele aqui no blog.
    A capa do livro não é lá essas "cocas", mas o enredo é muito interessante. Não sei pq, mas imagino o cenário ao estilo do seriado Revenge.
    Quero saber mais sobre a Tory e algo me diz que é o Cade o assassino. Kkkkk...
    Parabéns pela resenha maravilhosa. Bjs :*

    http://peregrinodanoite.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olha, não sou uma das apaixonadas, loucas por Nora... há livros e livros. Por exemplo esse que não é um dos meus favoritos. Gosto muito mais de O Testamento... pra dizer a verdade, gosto mais de seus livros de banca, como a série Os Irmãos Mackade.

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!