Resenha: Cansei de ser boazinha - Sueli Zanquim

Editora: Madras Editora
Ano: 2013
Páginas: 144

Shoptime - Submarino - Livraria da Folha

Você faz todas as vontades dos seus filhos, mesmo que não concorde na maioria das vezes e depois se arrepende? Seu marido vive dizendo que vai ajudá-la com as crianças e com a casa, mas sempre dá um jeitinho de fugir; ou quando a convida para sair, sempre chega cansado com uma pizza nas mãos e sugere para verem um filme, e você acaba cedendo, frustrando-se como mulher? Suas amigas é que decidem o que vão fazer quando se reúnem e o trabalho acaba sempre sobrando para você, porque se coloca na condição de prestativa; ou quando as encontra, só querem contar suas façanhas ou tragédias, fazendo você de psicóloga, porém sua palavra jamais é ouvida e mesmo estando triste por algum motivo disfarça, pois elas sempre dizem que você é a fortaleza do grupo? Quando sai de férias nunca consegue descansar, por estar com os filhos, e, quando fala para o maridão da possibilidade de fazerem uma viagem a dois, ele sempre faz aquela “carinha de dó”, com pena de deixar as crianças, e você acaba entrando na mesma sintonia? Você sempre se coloca em último lugar nas suas prioridades? Sinto lhe informar, querida amiga, mas você faz parte do clube das mulheres “boazinhas”, ou, melhor dizendo, das mulheres que, mesmo quando querem dizer não, dizem sim! Portanto, se você tem esse padrão em sua vida, é porque algo está errado. Então, reflita: Por que você só diz “sim”, quando em seu íntimo quer dizer “não”?

Classificação:     


"Para tanto, será necessário coragem para se autoenfrentar e domar o Ego e suas máscaras, fé para não esmorecer ao longo do caminho, que será repleto de provações, e a vontade de verdadeiramente se conhecer. Mas quando chegar ao fim da sua jornada, valerá a pena, porque a sua alma, a sua essência, resplandecerá à Luz da sua verdade e nada será capaz de corrompê-la novamente." Página 48

Cansei de ser boazinha é uma obra muito interessante para mulheres maduras e que já têm filhos, uma casa e um trabalho para manter com a famosa jornada dupla. Não é o meu caso, mas mesmo assim consegui ter uma leitura agradável e obter diversas dicas sobre como aprender a dizer não. No caso, existe grande parte das pessoas que acabam concordando em fazer o que não desejam apenas para evitar "esquentar a cabeça", este é o meu caso e até essa semana eu não havia percebido o quanto isso interfere em minha vida. 

A autora apresenta uma visão de sua vida e o quanto a escrita e suas atitudes mudaram toda a sua vida, começando com a palavra não. Conforme adiantamos a leitura conseguimos ter uma melhor visão de como as pequenas mudanças em nossa vida terão, a longo prazo, consequências benéficas para a rotina profissional e também pessoal. A obra é dividida em capítulos conta também com imagens que ilustram o que a autora aborda durante as páginas. A leitura é bastante rápida e prazerosa, pois há um parágrafo abordando sobre assuntos históricos que mostram a evolução das mulheres ao longo dos séculos e então pare para os dias atuais dando à leitora uma melhor visão das deficiências em sua rotina e quais são as mudanças imediatas a serem feitas.

Com uma linguagem fácil de ser compreendida e também com a postura de amiga, Sueli Zanquim consegue passar para as leitoras a sua visão de mundo e quais foram as mudanças que ela fez em sua rotina para ter uma vida plena e feliz. Alguns exercícios de respiração e imaginação são apresentados para o leitor e lhe ajudarão a ter maior controle sobre sua vida, além de diversas informações sobre a personalidade, características femininas e meios de vida presentes na sociedade atual. A diagramação, capa e revisão da Madras Editora ficou impecável e colabora para que a leitura seja mais dinâmica e fácil. Sem dúvidas é uma leitura agradável, rápida e indicada.

Para aqueles que desejam conferir a obra, não deixem de participar do top comentarista de dezembro que tem como prêmio Cansei de ser boazinha.


"Um bom começo é você avaliar o que realmente é importante para a sua vida. Quebre paradigmas, permita-se algo novo, saia da rotina, pois somente deixando a zona de conforto conseguimos avaliar o que realmente é importante para nós. Dançar, cantar, praticar um esporte, fazer um novo curso que fuja de tudo o que você fez até hoje, use a sua imaginação, até o simples ato de mudar o caminho para ir ao trabalho serve. Aproveite para resgatar um sonho de infância, quem sabe não se surpreenderá?" Página 115

3 comentários:

  1. Oi Rafaella :)
    Eu não imaginava que o livro era de auto-ajuda e isso me decepcionou. Tenho uma intolerância aos livros desse gênero. Os que eu ainda consigo engolir são os que são escritos pelo Paulo Coelho.
    Mas se eu ganhar o livro no Top, acho que vou presentear ele para minha mãe.
    Parabéns pela resenha. Bjs :*

    http://peregrinosdanoite.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Rafaella :)
    Bom, eu não imaginava que o livro era de auto-ajuda. A capa nao achei nada interessante, mas eu acreditava que fosse um chick-list ;(
    Nada contra a esse tipo de leitura, mas eu não gosto do gênero auto-ajuda. Só suporto as obras do Paulo Coelho e olha lá.
    Como não sou mãe, eu também não me encaixo no público alvo do livro. Então, se eu ganhar o top comentarista presentearei a minha mãe com o livro. Parece que ela gosta de livros de auto-ajuda.
    Parabéns pela resenha, Mariana. Vejo que o blog é bem diversificado em seu conteúdo de resenhas. Bjs :*

    Peregrinos da Noite

    ResponderExcluir
  3. O q eu mais gostei na resenha foram as dicas p dizer não q vc disse q o livro tem. É sempre difícil p mim dizer não e m interessei muito pelo livro.

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!