Resenha: Suzy e as águas-vivas - Ali Benjamin

Editora: Verus
Ano: 2016
Páginas: 223

Tradutor: Cecília Camargo Bartalotti,



Às vezes, quando nos sentimos mais solitários, o mundo decide se abrir de formas mágicas.
Suzy Swanson está quase certa do real motivo da morte de Franny Jackson. Todos dizem que não há como ter certeza, que algumas coisas simplesmente acontecem. Mas Suzy sabe que deve haver uma explicação — uma explicação científica — para que Franny tenha se afo7gado. 
Assombrada pela perda de sua ex-melhor amiga — e pelo momento final e terrível entre elas —, Suzy se refugia no mundo silencioso de sua imaginação. Convencida de que a morte de Franny foi causada pela ferroada de uma água-viva, ela cria um plano para provar a verdade, mesmo que isso signifique viajar ao outro lado do mundo... sozinha. Enquanto se prepara, Suzy descobre coisas surpreendentes sobre o universo — e encontra amor e esperança bem mais perto do que ela imaginava. 
Este romance dolorosamente sensível explora o momento crucial na vida de cada um de nós, quando percebemos pela primeira vez que nem todas as histórias têm final feliz... mas que novas aventuras estão esperando para florescer, às vezes bem à nossa frente.


Classificação:       



"Tudo tinha acabado da pior maneira entre mim e Franny. Se eu soubesse, teria pedido desculpas pelo jeito como as coisas aconteceram. Teria pelo menos dito adeus. Mas a gente nem sempre percebe a diferença entre um novo começo e um fim do tipo para sempre. Agora era tarde demais para consertar qualquer coisa." Página 32


Suzy e as águas-vivas foi publicado em 2016 pela Editora Verus e recebi de cortesia do Grupo Editorial Record para a avaliação. Logo que tive contato com a obra me apaixonei pela capa e a história me pareceu bem interessante, confesso que me animei também pelo número de páginas já que minhas últimas leituras foram extensas e precisava de algo mais leve. E é exatamente isso que encontrei nesta obra, uma leitura leve e encantadora.

Tudo começa com uma excursão que a turma de Suzy fez ao aquário, havia apenas um mês que ela perdeu a sua ex-melhor amiga e estava muito abalada, neste período adotou o não-falar e estava dando dor de cabeça na escola e para seus pais, já que ela não falava mais com ninguém. Nesta visita ela tem contato com uma exposição de águas-vivas e tudo passa por sua cabeça em um turbilhão de informações. Então ela decide fazer uma busca a fundo sobre isso, já que se Franny era uma excelente nadadora como poderia ter morrido afogada? Buscando informações online sobre uma espécie em especial, Suzy mergulha de cabeça ao tentar provar que a amiga havia morrido por causa de uma água-viva e então ela não seria a maior vilã da história. 


O livro é delicado, afinal trata sobre a morte pelos olhos de uma garotinha de 12 anos que está assustada com a partida de sua melhor amiga, mas ao mesmo tempo está empenhada em provar que ela morreu por causa de uma água-viva. Neste processo ela entra em contato com estudiosos e passa por uma transformação, já que o seu não-falar está atrapalhando a escola e sua psicóloga também está fazendo avanços nesta área.



"E, se ele pudesse me ajudar com isso, estaria ajudando com outra coisa também, para a história de minha amizade com Franny.
Um fim no qual eu sou uma pessoa do bem. Não a vilã." Página 71




De leitura leve, Suzy e as águas-vivas traz ao leitor uma história cativante. A narração é descomplicada e a autora conseguiu passar ao leitor como Suzy se sentia ao se deparar com a morte de Franny e seu processo de crescimento, afinal, ela estava em transição para a adolescência e isso é apresentado no livro - como um dos motivos para a briga entre as duas amigas. A capa é linda, assim como todo o trabalho editorial, a diagramação está ótima, capítulos bem divididos, quando há flashbacks estes estão bem sinalizados em itálico, sem dúvida este é um livro muito bem trabalhado no sentido visual.

Agora você deve estar se perguntando o motivo pela classificação ser apenas três, e respondo: acredito que por ler há bastante tempo acabei me tornando bem exigente com relação às leituras, esse livro é sim muito lindo e bem trabalhado, mas para a minha vivência é um pouco fraco na história, já que claramente não faço parte do público-alvo para o qual a autora o fez. Sem dúvidas é uma ótima leitura, mas não se tornou um dos meus favoritos.




"A questão era essa. Mesmo se eu conseguisse que Jamie me disesse que o problema tinha sido uma água-viva e que eu estava totalmente certa, isso não mudaria nada. Franny continuaria morta e nossa amizade ainda assim teria terminado do jeito que terminou." Página 194


0 comentários:

Postar um comentário

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!