Resenha: Eu estive aqui - Gayle Forman

Editora: Arqueiro
Ano: 2015
Páginas: 240
Tradutor: Fabiano Morais


Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... 
Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal? 
A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos. 
Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... E de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida. 
Eu Estive Aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.

Classificação:     




"Estou adiando esta decisão há muito tempo, ela escreveu em sua mensagem. Há muito tempo? Quando? Semanas? Mesas? Anos? Eu conhecia Meg desde o jardim de infância. Éramos melhores amigas, quase irmãs. Por quanto tempo ela adiou a decisão sem me contar? E o mais importante: por que ela não me contou?" Página 13


Eu estive aqui foi um livro que decidi ler por causa da autora, Gayle Forman, que criou uma história intensa e cativante em Se eu ficar e Para onde ela foi. Quando vi que o livro estava em promoção, não hesitei, e assim que o recebi iniciei a leitura e acredito que por ir com muita sede ao pote, acabei me decepcionando um pouco. A história é ótima, os personagens são intensos e algumas situações inusitadas, porém Se eu ficar me impressionou desde o começo, já Eu estive aqui demorou um pouco para me conquistar.

Nesta obra conhecemos Cody, uma jovem que teve a infância negligenciada pela mãe e um pai ausente, a garota encontra uma família nos Garcia, e têm uma amizade que parece inseparável com Megan. Porém quando ambas decidem seguir por caminhos opostos depois do colégio acabam se afastando um pouco, até Cody receber a notícia de que Meg fora encontrada morta em um motel. Seu e-mail suicida chegou para os pais e eles alertaram as autoridades, porém já não dava tempo de salvá-la, ela garantiu isso. 

A pedido dos pais de Meg, Cody vai até sua república para juntar os pertences da amiga, lá encontra uma porção de roupas, um notebook, dois gatos e muitas pessoas que fizeram parte da vida de Megan. Por um pedido dos pais da garota, Cody fica com o notebook e lá encontra algo que pode mudar os fatos da noite em que a melhor amiga tirou sua própria vida. Cody descobre um fórum suicida em que Megan conversava com pessoas estranhas e lá descobre All_BS, alguém que pode lhe dar as respostas que tanto busca sobre o suicídio da amiga. 

"Sinto o gosto amargo do ciúme outra vez. Não sei se é porque noto a intimidade entre Meg e All_BS. Ou se é porque, ao listar as pessoas com que se preocupava em deixar para trás, ela mencionou seus pais, seu irmão, mas não eu." Página 96

O livro tem uma história intensa em que a protagonista busca respostas sobre a vida da melhor amiga, que pensava conhecer ao avesso. Meg se afastou, foi fazer faculdade, encontrou novos amigos, adotou dois gatos, namorou caras estranhos e por fim tirou sua própria vida. O que teria acontecido para tal decisão? Os pais dela sabiam? O que ela pensou que aconteceria com seu irmão mais novo? E Cody? Estas perguntas passam pela cabeça da protagonista e dos leitores que ficam ávidos para descobrir o que havia acontecido com Megan. O livro é bom, a história bem amarrada, personagens cativantes - incluindo os secundários como Richard e Alice -, porém o fim me decepcionou um pouco. Mas como expliquei antes, estava esperando muito da leitura e isso pode ter prejudicado um pouco a minha interpretação. 

Com relação à edição posso afirmar que amei a capa, o jogo com as imagens deu vida e uma sensação de "nostalgia" ao iniciar a leitura, pois podemos ver um pouco da vida das protagonistas pelas fotografias. A revisão está ótima, diagramação excelente, capítulos bem divididos e as informações importantes como e-mails estão em fontes diferentes para ajudar a sua identificação. Eu estive aqui é um ótimo livro para aqueles que gostam de uma boa história dramática, vale a pena ser lido, mas para quem já leu algo da autora procure não comparar as leituras, pois isso pode lhe influenciar - como aconteceu comigo. 

"O problema é que Richard Zeller e o pai dele não fazem a menor ideia do que estão falando. Não sabem daquelas manhãs em que a raiva é a única coisa, a única, que faz você conseguir suportar o dia. Se tirarem isso de mim, eu fico totalmente vulnerável: em carne viva e sangrando, e aí mesmo é que não terei a menor chance." Página 174




0 comentários:

Postar um comentário

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!