Resenha: Baía da Esperança - Jojo Moyes

Editora: Intrínseca
Ano: 2016
Páginas: 301

Liza nunca conseguiu fugir do passado. Mas nas praias paradisíacas da encantadora comunidade de Silver Bay ela ao menos encontrou a liberdade e a segurança que procurava se não para ela, para sua filha pequena, Hannah, até que Mike Dormer se hospeda no hotel que Liza administra com a tia.
Um perfeito cavalheiro inglês, com roupas elegantes e olhar sério, Mike pode significar o fim de tudo que Liza trabalhou arduamente para proteger: não apenas o negócio da família e o lugar que tanto gosta, mas principalmente a convicção de que ela nunca amaria nem seria digna de amor outra vez.



Classificação:      



"Em Silver Bay, eu tinha grande consciência da minha visibilidade. Mesmo de camiseta e calça jeans, era como se a falta de sal no corpo deixasse minhas intenções transparecer. E, considerando o quanto a área era deserta, de algum modo parecia habitada demais, muito influenciada por sua população. Era uma nova experiência para mim, mas, por algum motivo, eu não conseguia enxergar com clareza." Página 68


Baía da Esperança foi um dos livros que me chamou atenção durante a Turnê Intrínseca e como estava na vibe dos livros da Jojo Moyes não me contive e solicitei para a editora. Sem dúvidas é o melhor livro que li da autora e apesar de ter demorado para terminar a leitura, valeu a pena ter degustado aos pouquinhos essa história maravilhosa.

Tudo começa quando Silver Bay recebe um visitante um tanto inusitado, Michael Dormer é um executivo que está visitando o local sem nenhum motivo aparente. O homem se hospeda no Hotel Baía da Esperança, gerenciado pela Dama dos Tubarões - Kathleen Mostyn, conhecida na cidade por ter pescado um tubarão aos dezessete anos. Mike é um sujeito reservado e aos poucos vai conhecendo os moradores de Silver Bay, porém esconde de todos a sua real intenção que é fazer um levantamento das informações sobre o local que está sendo analisado para a construção de um hotel com muitas opções de esportes aquáticos proposto pela empresa em que ele trabalha. Isso vai contra o que o local representa para os moradores, descrito como uma área pacata para a observação de baleias e golfinhos, sendo que Liza - sobrinha de Kathleen - trabalha com a observação dos animais marinhos como forma de sustento para sua família. 

Depois de algum tempo todos começam a se acostumar e inserir Mike em suas vidas como alguém confiável. Liza e sua filha, Hannah, entram na vida do rapaz e com certa cautela deixam fragmentos de seu passado expostos para ele, já que o homem agora se tornava alguém de confiança, porém com a chegada da noiva do rapaz toda essa confiança começa a ruir e os reais motivos de Michael são descobertos, então ele precisa fazer uma escolha que irá mudar sua vida: continuar com o projeto ou honrar a confiança que todos os moradores de Silver Bay depositaram nele?



"Mas alguma coisa em Mike me incomodava. Eu tinha a sensação de que ele não vinha sendo sincero com a gente. Algo em sua essência me deixava inquieta. Por que um homem solteiro estava passando tanto tempo num balneário pequeno e sossegado como o nosso? Por que nunca falava da família? Certa manhã ele me dissera que não era casado nem tinha filhos e em seguida mudara educadamente de assunto. Já constatei que quase todos os homens, sobretudo os bem-sucedidos, falam deles mesmos à menor oportunidade, mas Mike parecia não querer nos contar nada a seu respeito." Página 95


Baía da Esperança é um livro que teve o início morno e um tanto monótono, porém em determinado momento a leitura começou a deslanchar e culminou em um desfecho surpreendente. Os personagens tiveram uma boa interação e aos poucos comecei a acostumar com as rixas entre eles e isso foi algo que me deixou impressionada: a mudança de alguns personagens, por exemplo, Liza que começou a confiar em Mike apesar de todo o seu passado traumático. Hannah é a personagem que me conquistou desde o início da leitura, pois a garotinha mostrou a todos os adultos que a determinação é essencial ao defender suas convicções. O livro, sem dúvidas, tornou-se um dos melhores que já li em toda a minha vida.

Considerando os aspectos editoriais o livro também surpreende. A capa é perfeita e apresenta detalhes sobre a trama de Baía da Esperança, já a divisão de capítulos é feita de acordo com o personagem que está narrando e isso dá ao leitor uma dimensão maior da história e das cenas, os capítulos são bem marcados e o título de cada um é o nome do personagem que o narra e está em fonte diferente do restante do livro. A diagramação e a revisão estão ótimas, letras em bom tamanho e páginas amareladas ajudam para não cansar os olhos, tornando a leitura fluida e mais prazerosa. Recomendadíssimo para todos que gostam de uma boa história com doses de romance, drama e personagens cativantes. 


"Ela parecia estranhamente conformada com nosso destino. De qualquer jeito, desde a discussão que tivemos no seu escritório naquela noite, não falávamos muito sobre o assunto. Eu não entendia por que minha tia parecia tão disposta a deixar Mike sair impune, e ela não me esclareceu. Noite após noite, deitava-se no seu canto do hotel, e eu, acordada no meu pequeno quarto no fim do corredor, escutava as ondas do mar e me perguntava por quanto tempo ainda poderia ouvir aquele som, até, inevitavelmente, Hannah e eu sermos obrigadas a arrumar as malas e ir embora dali." Página 171



10 comentários:

  1. Quando o livro passa de um início morno para um dos melhores que se leu, com certeza deve valer a pena :) Eu gostei da história, parece ser tão fofa quanto a capa, fiquei curiosa sobre o trauma de Liza e já quero proteger a Baía da Esperança rsr. Já adicionei nos livros que quero ler ;)

    ResponderExcluir
  2. ainda não li nenhum livro da autora, mas tenho mta curiosidade para ler… mas nao sei pq fico com a sensação que são muito emotivos e me deixarão triste.. achei mto fofo esse enredo e a capa então mto linda..

    ResponderExcluir
  3. Este livro, como você citou, parece mesmo começar um tanto "sem graça", mas creio que com o passar da leitura e o desenrolar da história, vai ficando cada vez melhor. Ele toca na confiança entre as pessoas, no não magoar quem um dia acreditou em você... me parece ser um livro que quanto mais se lê, mais quer continuar e tentar decifrar o final. Gostei!!

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li esse dela. Acho que a trama pode ser bem bonita, ainda mais nas mãos dessa autora. E mesmo que tenha um começo meio morno acho que iria gostar. Ela consegue surpreender e fazer você ficar meio apaixonado pelos personagens. Além de passar uma mensagem bonita sempre. Esse pode ser muito bom mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Amo a Jojo e quero conhecer mais obras da autora, com certeza Baia da esperança sera uma das minhas próximas leituras, mesmo possuindo um começo monótono, mas percebo que no meio da trama a autora conseguiu desenvolver o enredo e os personagens.

    ResponderExcluir
  6. Eu li Baía da Esperança e realmente o livro começa morno e vai ficando melhor conforme vamos lendo. Demorei também para ler, a leitura não me conquistou tanto quanto conquistou você, mas é sim um ótimo livro. Eu li ainda na versão da Editora Bertrand, essa capa da Intrínseca realmente é muito mais bonita, gostei deles terem ficado com a capa original. Uma coisa bem legal é a narração ser intercalada, também gostei disso. Gostei muito da resenha.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Li alguns livros da Jojo Moyes que gostei muito mas pensei que não iria gostar dessa historia, porém ao ler a resenha achei a historia interessante mesmo tendo esse começo morno e estou bem curiosa sobre essas reviravoltas que temos no livro !!

    ResponderExcluir
  8. Oi,
    Por incrível que pareça nunca li nada da Jojo, mas não foi por falta de vontade. Todos os seus elogios pelo livro só me fez pensar que tenho que ler esse, e é um ótimo livro para conhecer a autora.

    ResponderExcluir
  9. Oi.
    Achei essa capa maravilhosa, mas não posso dizer o mesmo da premissa que para mim foi bastante clichê, essa coisa toda de executivo amor e tudo mais não funciona para mim, mas acho que leria com certeza.
    Boa Noite.

    ResponderExcluir
  10. Pela sinopse talvez não fosse um livro que eu leria, mas sua resenha me deixou curiosa acerca da trama.

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!