Resenha: Miniaturista - Jessie Burton

Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 352
Tradutor: Rachel Agavino


Em 1686, a jovem Nella Oortman se casa com Johannes Brandt, um bem-sucedido mercador de Amsterdã, e se muda do interior da Holanda para a cidade grande. Nella acredita que o casamento com um homem rico e poderoso irá lhe proporcionar uma vida repleta de glamour e felicidade, no entanto, não é o que ela encontra quando chega à nova casa: por causa das viagens a trabalho, Johannes não é dos maridos mais atenciosos e Marin, sua irmã, se encarrega de controlar cada aspecto do lar e da família Brandt, revelando-se extremamente opressiva e dominadora. 

Para agradar a nova esposa, Johannes a presenteia com uma miniatura da casa em que moram e, logo, Nella encontra um miniaturista para confeccionar algumas peças. No entanto, tudo começa a mudar quando o miniaturista passa a enviar obras que nunca foram pedidas, mas que não apenas refletem a realidade, como parecem anunciar futuras tragédias.

Encantador, belo e repleto de mistérios, Miniaturista é uma magnífica história de amor e obsessão, traição e vingança, aparência e verdade.


                                                                                          Classificação:     


"Apesar dos avisos da mãe - mulheres enterradas cedo demais no pátio da igreja em Assendelft-, Nella sempre presumiu que um dia teria um bebê. Ela toca o ventre, imaginando uma curva ali, um balão de carne escondendo uma criança. Viver nessa casa não é apenas absurdo, é um jogo, um exercício de falsidade. Quem é ela é agora? O que deve fazer?" Página 143



Miniaturista foi um dos livros que tive o primeiro contato durante a 5ª Turnê Intrínseca. A forma com que a equipe da editora apresentou para nós, leitores, me deixou ansiosa para conhecer a história e imaginem a minha felicidade quando recebi um e-mail de que por ter ajudado na organização do evento podia escolher uma obra? É claro que pedi Miniaturista e comecei a leitura logo que recebi o livro, deixei minhas outras leituras de lado e embarquei na história de Petronella Brandt.

O livro nos conta sobre a garota de dezoito anos que embarca para uma vida nova, acabou de se casar e vai morar com a família de seu marido, Johannes Brandt. Como presente de casamento o homem lhe dá uma cristaleira que é nada menos do que uma miniatura da casa em que vivem, animada com o presente Nella busca o contato de um miniaturista para começar a decorar a sua casa de brinquedo, porém - aos poucos - a protagonista percebe que tudo o que está acontecendo na casa em miniatura acontece na real e vice-versa. 

Agora, Nella precisa enfrentar os problemas que está tendo ao se adaptar em sua nova casa, tendo que aturar as ausências do marido, o mau humor de Marin - sua cunhada - e a forma bisbilhoteira de Cornélia, uma das criadas da casa. Outro personagem importante para a trama é Otto, um negro que é contratado por Johannes e a situação gera muitos conflitos na cidade dos Brandt. Johannes é um comerciante rico e desperta a cobiça de pessoas próximas, isso é apresentado no livro e é um dos pontos em que levam a vida de Nella a se complicar. Além das descobertas acerca da casa em miniatura, a protagonista é levada a se manter forte para sustentar a família Brandt que, aos poucos, é afetada por tudo o que acontece ao seu redor. 


"Os fios da imaginação de Nella começam a se intercalar, bordando conversas cujos fragmentos vão se costurando de forma frouxa. Quem é a senhora miniaturista parece fazê-la desaparecer. E ainda assim ela está presente com bastante frequência, observando e esperando. Nella se pergunta qual das duas é a caçadora e qual é a caça." Página 174


Miniaturista é um livro completamente diferente de todos os já publicados e por isso me chamou tanta atenção. A história é envolvente, Petronella é uma jovem que busca se acertar em sua nova vida e é levada a enfrentar situações que jamais passaram em sua cabeça durante os anos em que viveu em Assendelft. É interessante perceber o quanto ela muda desde a sua chegada até o desfecho inesperado da leitura - sim, jamais imaginei que o livro terminaria assim. Existem poucos personagens na obra, mas todos foram bem trabalhados pela autora e isso que deixou o livro ainda mais envolvente. Aos poucos o leitor é inserido nos segredos dos protagonistas e acaba tendo que enfrentar com eles todas as situações embaraçosas e difíceis pelas quais precisam passar. 

Com relação a edição só tenho elogios, começando com a capa perfeita que a Intrínseca manteve bem próxima da original, trazendo ao leitor elementos presentes na história, além de ilustrar a casa de Petronella Brandt. A casa em miniatura é real e está no The Rijksmuseum, um museu em Amsterdam, e isso traz ao leitor mais imagens para ilustrar as aventuras da protagonista de Miniaturista. A revisão está boa, encontrei poucos erros, além de a diagramação estar ótima - dados são apresentados para amparar os leitores durante a leitura no início e ao final do livro, tornando ainda mais fácil se familiarizar com a época em que a história está inserida. Este é um livro singular e fascinante, Jessie Burton fez um trabalho excelente ao mesclar dados reais com a ficção e me deixou encantada a cada capítulo que avançava na leitura.   


"- Não consigo acreditar que ele concordou em ir embora - comenta Nella, observando a cunhada, mas Marin desvia o olhar. - Não parece do feitio dele.
- Você está aqui há doze semanas, Petronella - dispara Marin. - Nem uma vida inteira é suficiente para saber como uma pessoa vai agir." Página 214


1 comentários:

  1. Adorei a sinopse e pela sua resenha, parece que vale a pena mesmo.
    Vou pôr na listinha!

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!