Por dentro da tela: A ira de um anjo

Título no Brasil: A Ira de um Anjo
Título Original: Child of Rage
País de Origem: EUA
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 94 minutos
Ano de Lançamento: 1992
Direção: Larry Peerce


Casal adota uma menina de 7 anos, aparentemente angelical, mas que logo revela uma personalidade cruel, capaz de manipular os adultos e cometer atos violentos contra aqueles que se colocam em seu caminho.


- Está chorando pelo bebê Cat?
- Sim, querida, por ele. E por todos os bebês machucados do mundo que precisam de pais para abraçá-los e amá-los. 
- Não chore... 
- O que está sentindo, Cat?
- Estou chorando por você, mamãe. Estou chorando por você.





BETH THOMAS
A ira de um anjo é uma produção lançada no ano de 1992 e é baseado em fatos reais. Um casal adota dois irmãos que já haviam passado por alguns lares adotivos, sem sucesso, e aos poucos começam a perceber que sua nova filha tinha comportamentos inadequados para uma garotinha de sua idade. Sem saber o que fazer, os pais acabavam deixando-a de castigo por constantemente machucar seu irmão que era alguns meses mais novo e seus animais de estimação. O filme tem por base a história de Beth Thomas e a busca incessante de seus pais por um tratamento, pois desde que Beth era um bebê sofria abusos físicos e sexuais de seu pai biológico. Sua mãe havia morrido e por isso a garota não conseguia sentir dor, remorso ou até mesmo amor ao próximo. Seu principal alvo era John e aos poucos ela direcionou esta raiva para os animais de estimação e por fim, para seus pais. Há um documentário disponível no Youtube que mostra o material utilizado na composição do filme A ira de um anjo, mas se você não consegue assistir materiais fortes este não seria indicado. Em meu caso, acabei lendo algo sobre a história de Beth em um blog e então decidi procurar. Depois de ver o documentário acabei lendo alguns comentários que mencionavam o filme e fui conferir, é realmente perturbador. Fiquei chorando por horas porque é impressionante como o que essa pequena garota sofreu quando ainda era um bebê fez com que nada em sua vida tivesse um sentido, nem mesmo seu irmão escapava de sua raiva. Apesar de todo o mal ao qual Beth foi exposta na mais tenra idade, ela teve sorte de não causar nada mais grave e ter pais adotivos que zelavam por ela e fizeram de tudo para que ela se recuperasse. É importante saber que apesar de todo o mal que existe no mundo, algumas pessoas acabam lutando contra isso e fazendo o bem independente de tudo. 

O filme foi gravado após a divulgação deste documentário, em 1989, e no ano de 1992 já encontrava-se disponível. Na produção um casal que não pode ter filhos acaba recebendo duas crianças em sua casa e logo nos primeiros dias Jill e Rob percebem que a pequena Catherine apresenta sinais de agressão contida, sendo que esta agressão era direcionada para seu irmão Eric. Quando Jill vê que Cat não deixa Eric comer um sanduíche, ela repreende a menina e a manda para o quarto. Porém a garota se revolta e acaba destruindo boa parte dele e sua ira acaba deixando Jill preocupada. Entretanto quem cuidava da adoção dos irmãos nada poderia falar sobre os motivos pelos quais os pais adotivos anteriores acabavam devolvendo as crianças. 




Catherine está cada vez mais fora de controle e durante a noite sonha constantemente com um homem que a machuca, logo após acordar deste pesadelo a garotinha levanta e se dirige para o quarto de Eric e o garoto sempre está com manchas pelo corpo e não sabe explicar para os pais como as conseguiu. Facas começam a sumir de casa e Jill volta a se preocupar, porque seu primeiro pensamento foi que Cat as tinha. Quando é confrontada, Catherine age dissimuladamente e nada se confirma. Pouco antes de Doris, a assistente social, avisar que poderiam procurar pela irmã mais velha de Catherine e Eric, a garotinha havia se insinuado para o pai de Rob, o que fez Jill suspeitar de abuso sexual quando a menina era apenas um bebê. Aos poucos Jill e Rob conseguem ligar os fios soltos da história de Catherine e Eric e agora precisam decidir o que fazer, se devolvem as crianças ou procuram ajuda para Catherine.

Como falei anteriormente tanto o filme quanto o documentário são extremamente perturbadores. Ao final de A ira de um anjo eu não conseguia pensar em nada e estava bastante abalada, chorei por horas. É impressionante ver como a maldade dos seres humanos chega ao ponto de causar tanta tristeza na vida de uma pessoa, e, também, foi bom perceber que existem pessoas no mundo que tentam reparar todo esse mal com boas atitudes. Recomendo este filme para quem quer saber um pouco mais sobre a história de Catherine e Eric, até mesmo de Beth, porém a história real que é apresentada no documentário teve de ser adaptada e algumas atitudes que Beth tinha para com o irmão acabaram sendo suprimidas da produção. 



- Seus pais dizem coisas interessantes sobre você, mas após conversarmos acho você comum. Acho que não temos mais nada a dizer. 
- Temos um cão. Quer saber o que eu fiz com ele?
- É interessante?
- Espetei-o com força, até ele sangrar. Eles falaram sobre o Eric? 
- Quando bateu a cabeça dele no chão?
- Eu o empurrei e amassei sua cabeça no chão. Ele gritava para eu parar, mas eu não ia parar. Meus pais me fizeram parar. 
- Como se sentiu sobre isso?
- Maldosa.
- A que ponto?
- Eu ia matá-los. 

17 comentários:

  1. Uauu a história parece ser bastante forte, fiquei com vontade de ver o filme, mas não sei se chegaria até o fim dele, não estou com estômago para coisas perturbadoras. E ainda mais sabendo que é baseado em fatos reais, me assusta saber como tem pessoas com propensão a crueldade se ja ela com crianças, adultos ou animais. Mundo cruel é só o que consigo pensar :/

    ResponderExcluir
  2. Nossa, nunca tinha ouvido falar desse filme mas parece ser bastante pertubador mesmo, ainda mais que foi inspirado em fatos reais... fiquei curiosa em relação ao documentario pois quero saber o destino de Beth e curiosa em relação ao filme pois quero ver como terminou a adaptação

    ResponderExcluir
  3. Caramba, só lendo a resenha eu fiquei pertubada imagine vendo o documentário ou o filme. De fato muitos seres humanos fazem coisas terríveis, e o pior, quando ela ainda era bêbê, não podia se defender nem reclamar. Esse tipo de coisa é extremamente triste, quero dizer, como pessoas podem fazer coisas como essas?
    Eu não tenho estômago forte e sei que ia ficar muito abalada se assistisse qualquer um dos dois porque é cruel demais, e a pior parte é que essa garota foi influenciada por tudo isso. A garota até se insinuou pro pai, tadinha, deve ter sofrido muito...

    ResponderExcluir
  4. Eu sou muito fraca pra esse tipo de filme! É muito triste ser baseado em fatos reais...
    Achei muito perturbador e não assistiria....

    ResponderExcluir
  5. Minha nossa, já fiquei angustiada só de ler a sua resenha! Não sei se teria coragem de assistir ao filme não viu? N]ao sou muito forte e principalmente quando se trata de crianças minha angustia aumenta muito. Mal conseguiria assistir ao filme, imagina então ao documentário? Você é corajosa! Quando comecei a ler sua resenha, me lembrei muito do filme A Orfã, mas depois percebi que é uma história totalmente diferente!

    Beeijos,
    iSteh

    ResponderExcluir
  6. Nossa eu não sei se teria coragem de assistir um filme desses é muito perturbador, sua resenha me deixou curiosa mas irei pensar um pouco sobre se vou assistir ou não.

    ResponderExcluir
  7. Nossa, preciso ver esse filme *-*
    Como eu sendo um futuro jornalista eu precisa estar a par desses episódios "mostruosos e pertubadores" da humanidade.
    Desconhecia a existência desse filme e vou tentar alugá-lo em alguma locadora de video. Dai p/ alguns meses ( quando arranjar um emprego) eu dou um jeito de fazer o download dos documentarios.
    O nome do filme é muito proposital e não me pertubo mais c/ filmes baseados em fatos reais (se não eu teria ficado louco louco depois de assistir ao Massacre da Serra Elétrica).
    Enfim, esse filme eu preciso assistir p/ entrar no meu currículo mental.
    Obrigado por postar sobre esse filme que é antigo e não é divulgado em pleno século 21.
    Bjs Rafaella-chan. *-*

    ResponderExcluir
  8. Uiiiiii eu acho que ñ assistiria um filme desse não
    tenho coragem ñ kkk

    ResponderExcluir
  9. Minha nossa!
    Esse filme realmente parece ser bem perturbador.
    Como pode existir gente tão cruel capaz de fazer mal a um bebê e também torna-lo tão mal?
    Estou horrorizada só com a sinopse, não sei se tenho estrutura para assistir ao filme.

    http://lisos-somos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Me pergunto como ainda pode haver pessoas tão ruins como essas, fico imaginando o sofrimento dessa menina e tudo o que ela passou e de uma certa forma, fez os outros passarem também. É aí quando percebemos que existe maldade nas pessoas e como ela nos influencia, ainda mais numa criança. Realmente isso é muito triste.

    ResponderExcluir
  11. Gostei bastante, até porque um dos meus filmes preferidos, se parece bastante com esse: A Orfã. A menina capetinha...
    Vou querer assistir para dar uma comparada no geral, porque vi que no linguajar essa menina ai parece mais cruel /socorro/ Deve ser um filme bem forte, preciso assistir!

    ResponderExcluir
  12. Parece ser bem forte, acho que eu não teria coragem de assisti nunca. Eu fui pesquisar mais sobre a Beth Thomas e fiquei chocada. Por isso que eu não tenho coragem de assistir, só de ler já dá vontade de chorar.

    ResponderExcluir
  13. Vixi, esse filme parece ser muito bom, mas também parece dar medo, sabe eu gosto de filmes assim, tenho certeza que vou gostar desse e que menininha malvada né, tenho certeza que vou ficar super assustada, pois o filme parece ser forte, mas sou muito curiosa e quero assistir do mesmo jeito.

    ResponderExcluir
  14. Nunca tinha ouvido falar dessa história, fiquei com vontade de assistir mas não sei se chegaria até o final, é bem forte !
    Infelizmente é uma realidade sabiam ? Uma amiga minha trabalha em um centro espirita num comunidade pobre e conhecida por ser violenta e me disse que é muito comum encontrar casos de crianças estrupadas por seus pais , até onde vai o ser humano não ?

    beijos

    Hosana
    @heynaninha
    nannahguedes@hotmail.com

    ResponderExcluir
  15. Nossa a história é forte, gostei logo de cara. Por ser um caso real isto faz com que tenhamos mais atenção com o assunto. É certo que crianças que sofram alguma violência ou qualquer que seja o mal trato necessite de mais amor e cuidados, para que não se tornem adultos perturbados ou psicopatas. Muito bom sua sinopse. Mil bjs

    ResponderExcluir
  16. Não sabia que tinha um filme dessa história. Conheço a história em si, é muito triste e deprimente... tem coisas que eu ainda não consigo acreditar que ocorreram. Agora imaginar um filme sobre isso? deve ser bem pesado, mas interessante. Mas não sei se eu verei...

    ResponderExcluir
  17. Nunca vi nada sobre esse filme e mesmo se tivesse visto, não assistiria. É uma história forte, porém real. Não é difícil de existir crianças assim, infelizmente isso faz parte de nossa realidade.

    ResponderExcluir

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!