Por dentro da tela: Terror no Paraíso

Diretor: Mary Lambert
Duração: 145 min
Distribuição: Lifetime





Madison passou a maior parte da vida em internatos e fica empolgada quando a madrasta a convida para passar o aniversário numa ilha. Numa excursão com Blake, o guia local, ela quase se afoga, mas consegue sobreviver. Ao voltar descobre que as férias são muito diferentes do que parecem ser. 




Classificação:     




Madison Ashland começou a ser negligenciada no minuto em que seu pai morreu, pois sua madrasta se interessava apenas pelo dinheiro deixado pelo marido e não pela enteada. Nos anos seguintes a garota foi transferida para um internato e às vésperas de completar dezoito anos recebe a notícia de que iriam fazer uma viagem para Santa Isabel, um lugar que a adolescente frequentava quando criança.


A animação pela viagem chega ao fim logo no primeiro dia já que Patrícia deixa Madison sozinha e ela decide explorar a ilha. Ao conhecer um guia local - que a salva de assaltantes - ela marca de conhecer a ilha com ele no próximo dia, deixando a madrasta brava, porém não desiste dos planos e acaba brigando seriamente com Patrícia. No dia seguinte a garota explora a ilha e ao estar em mar aberto começa a passar mal, quase morrendo afogada, ao voltar para casa ela percebe que há algo estranho, já que passou um dia desaparecida e a madrasta não deu queixa de seu sumiço. 

Por sua vez, Patrícia chega em casa acompanhada de Blake - que se apresentou para Madison como guia - então a garota descobre que não era para ela ter saído viva do mar, mas sim isso fazia parte dos planos de Patrícia para a viagem. Agora a adolescente precisa tentar permanecer viva - já que Patrícia sabe que ela não morreu afogada -, além de comprovar sua identidade, pois a madrasta contratou uma adolescente para se passar por ela nos próximos dias. 

Logo nos primeiros minutos do filme temos uma prévia de como a madrasta de Madison foi nos últimos anos e, para o telespectador é, no mínimo, estranha essa mudança de comportamento e tudo nos leva a crer que há algo por trás dessa atitude. Confesso que adorei o filme e a força que Madison precisou para provar que era realmente a vítima foi o que me motivou a assistir o filme por completo já que estava passando no Lifetime e já havia começando quando comecei a vê-lo, além de dormir nos minutos finais (não por causa do filme, mas por cansaço já que era duas horas da manhã). Um destaque para a música Be Still da banda The Fray, que toca ao longo da produção e me encantou. Por ser um filme de drama já está entre meus favoritos de se assistir, a história é ótima, as protagonistas Malese Jow e Olivia d'Abo deram um show de atuação, sem dúvidas é um ótimo filme. 


0 comentários:

Postar um comentário

Quer deixar uma dica ou sugestão? Comente e me deixe feliz.

Para que eu possa visitar seu blog deixe um comentário com o nome do blog e eu entrarei em seu perfil. Ou use a opção Nome/URL. Por favor não coloquem links nos comentários porque o blogger considera como spam.

Agradeço a visita!